Imobiliário

Lisboa: esta cidade não é para pobres

Estudo da Century 21 Portugal sobre a acessibilidade de habitação em Portugal revela que, na capital portuguesa, 155 mil famílias com rendimentos líquidos anuais que variam entre os 5 mil e os 19 mil euros só têm 5% de oferta de habitação adequada à sua classe no mercado.

Volume de investimento imobiliário deverá continuar nos três mil milhões em 2023

Consultora CBRE aponta Lisboa como a sexta cidade europeia mais atrativa para investir e destaca como principais riscos para este ano a obtenção e o custo do crédito, bem como o desfasamento de expetativas de preços entre o vendedor e comprador.

Comprar um apartamento de 90m2 em Lisboa custava mais do dobro da média nacional em 2022

Na capital portuguesa o preço era de 375.480 euros, enquanto na média nacional o valor é de e 152.159 euros. Em Lisboa, a taxa de esforço aumentou dos 48% em 2019, para o 67% no último ano.

VIC Properties desiste da venda do Prata Riverside Village e Herdade da Matinha

Já a Herdade do Pinheirinho que surge também englobado no ‘Project Rise’ continua em processo de venda, mas este projeto deverá, em breve também ser retirado desse processo.

Preço médio das casas com subida homóloga de 13,5% no terceiro trimestre de 2022 (com áudio)

No período em análise o valor fixou-se nos 1.492 euros\m2, registando-se uma desaceleração em comparação com os 17,8% do trimestre anterior.

Lisboa é a terceira cidade europeia mais cara para arrendar. Porto é das mais baratas (com áudio)

Arrendar um apartamento em Lisboa custa em média quase o dobro do que no Porto. De acordo com dados avançados pelo HousingAnywhere International Rental Index, acima da capital portuguesa ficam apenas Amesterdão e Reykjavik.

Engel & Völkers Portugal terminou 2022 com volume de negócios de 260 milhões de euros

Este valor representa um aumento de 52,8% face ao período homólogo. Preço médio das habitações transacionadas foi superior a 635 mil euros, num crescimento de 24,2% em comparação com o ano anterior.

Imobiliário. Proibir vendas a estrangeiros “é uma medida hipócrita e boa para dar cabo do país”, diz CEO da Porta da Frente

Rafael Ascenso defende que a realidade portuguesa é totalmente diferente da canadiana e realça que Portugal tem vivido nos últimos anos através do investimento imobiliário por via internacional. “É um agente económico que não se esgota no momento da aquisição da casa”, refere.

Porta da Frente encerrou 2022 com volume de 515 milhões em imóveis transacionados

Este valor representou um total de 416 imóveis transacionados, com um preço médio de venda de 1,2 milhões de euros. Os investidores portugueses dominaram o mercado, com o Brasil, Rússia e Estados Unidos a serem os principais clientes estrangeiros.
Ver mais artigos