1239 denúncias de alegados crimes económico-financeiros nas mãos da PGR

Foram 1239 as denúncias que este ano chegaram à Procuradoria-Geral da República, das quais 371 por alegados casos de fraude fiscal, 51 por corrupção e 35 por peculato.

Segundo informação a que a agência Lusa teve acesso, os dados referem-se ao total de denúncias recebidas até 31 de outubro através da plataforma de denúncias de actos de corrupção e fraude, disponível na sua página na internet.

Destas 1239 denúncias de vários tipos de crimes, deram origem à abertura de 139 inquéritos e 661 arquivamentos, tendo sido realizadas 28 averiguações preventivas e enviadas 385 denúncias a outras autoridades.

Das queixas apresentadas pelos cidadãos, estão alegados factos de burla com fraude bancária (15), abuso de autoridade (65), outros crimes cometidos no exercício das funções públicas (69) e fraude contra a segurança social (24).

De acordo com o Ministério Público, “este canal de denúncias tem-se revelado mais uma ferramenta útil à investigação”, já que desencadeia novos processos e, “em certas situações, fornece elementos complementares relativamente a inquéritos já existentes”, no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e nos diversos Departamentos de Investigação e Ação Penal (DIAP).

Recomendadas

Leão vê PIB a crescer acima de 6% este ano e desaceleração em 2023

O antigo ministro das Finanças João Leão acredita que o crescimento do PIB português poderá superar 6% este ano, mas aponta para uma desaceleração em 2023, com uma estagnação ou mesmo recessão na zona euro, defendendo uma estratégia prudente.

Respostas Rápidas: como pode aceder ao complemento solidário para idosos ou outras pensões?

A propósito do Dia Internacional do Idoso e dado o envelhecimento cada vez maior da sociedade portuguesa, importa compreender como podem os contribuintes aceder a vários apoios disponibilizados pela Segurança Social.

Preços do gás e da eletricidade para as famílias sobem a partir de hoje

Os aumentos de preços do gás natural e da eletricidade para os clientes domésticos, no mercado regulado e no liberalizado, entram hoje em vigor, o que, em alguns casos, vai pesar quase mais 40 euros na fatura mensal.
Comentários