27% dos portugueses admitem mudar voto para a extrema-direita

Dos inquiridos, 60% dizem recusar votar num partido com ideias partilhadas pela extrema-direita, como anti-imigração e corrupção.

Mudaria o seu sentido de voto se surgisse ”um novo partido a falar alto contra a imigrantes ilegais e contra a corrupção”? A grande maioria rejeitou dar o voto a um partido apostado em ideias de cariz populista. Contudo, 27% dos inquiridos no barómetro de dezembro responderam que sim, ”de certeza”, ou ”talvez”, segundo um estudo da Aximage, citado pelo ”Jornal de Negócios” e ”Correio da Manhã”.

Os dados indicam uma maior percentagem dos que admitem alternar entre os partidos de centro-direita (PSD e CDS), mas mesmo aí a maioria (60%) recusou a ideia de votar num partido com ideias partilhadas pela extrema-direita.

Entre o eleitorado socialista inquirido o número sobe para 72,4% enquanto entre os bloquistas 76% dizem não a ideias populistas. Já para os inquiridos que admitem optar pelo PCP, 77,6% rejeitam uma mudança de intenção de voto para um partido anti-imigração.

Recomendadas

Vasco Lourenço contesta aproveitamento político do 25 de novembro pela extrema-direita

“Não aceito agradecimentos dos que, em 25 de Novembro de 1975, foram vencidos, por mim e pelos meus camaradas de Abril”, enfatiza Vasco Lourenço em comunicado, no qual não nomeia qualquer partido, embora se dirija expressamente à extrema-direita.

José Maria Monteiro de Azevedo Rodrigues é o novo presidente da Comissão de Normalização Contabilística

A decisão foi tomada em Conselho de ministros e publicada hoje, sexta-feira, no Diário da República, informou o Ministério das Finanças em comunicado.

Ministro da Cultura quer consenso alargado nas diretivas sobre direitos no mercado digital

A diretiva europeia que adapta a gestão dos direitos de autor e dos direitos conexos ao meio digital vai estar em consulta pública, período durante o qual poderão voltar a ser ouvidas as partes interessadas no processo.
Comentários