CEO do Novobanco: “Plano estratégico? Queremos simplificar ao máximo toda a estrutura”

“Plano estratégico? Concentramos todas as operações em Portugal e é esse o nosso compromisso para com a economia portuguesa. E isso obriga a que simplifiquemos ao máximo toda a estrutura. E simplificar é sinónimo de eficiência”, realçou António Ramalho em entrevista exclusiva ao JE.

Depois de um período de sete anos de limpeza do legado do BES e terminada a reestruturação, o Novobanco quer deixar para trás o recurso ao dinheiro do Fundo de Resolução e trabalhar para consolidar a rentabilidade e o crescimento do banco.

Em entrevista a Maria Teixeira Alves, grande repórter do JE, António Ramalho, CEO do Novobanco, realça o que espera para 2022, do novo Governo, do Plano de Recuperação e Resiliência, da economia e do Plano Estratégico do banco para 2022-2024.

“Plano estratégico? Concentramos todas as operações em Portugal e é esse o nosso compromisso para com a economia portuguesa. E isso obriga a que simplifiquemos ao máximo toda a estrutura. E simplificar é sinónimo de eficiência”, realçou António Ramalho em entrevista exclusiva ao JE.

Relacionadas

Novobanco: o que esperar do plano estratégico até 2024? Veja a entrevista a António Ramalho ao JE

Em entrevista a Maria Teixeira Alves, grande repórter do JE, António Ramalho, CEO do Novobanco, realça o que espera para 2022, do novo Governo, do Plano de Recuperação e Resiliência, da economia e do Plano Estratégico do banco para 2022-2024.
Recomendadas

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Complemento excecional a pensionistas: SNQTB remeteu nova carta ao Primeiro-Ministro

Depois do OE2023 ter sido aprovado o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários diz que “o Partido Socialista mantém a injustiça em relação aos bancários reformados que foram indevidamente excluídos da atribuição do complemento excecional a pensionistas”.

Sete bancos lucraram dois mil milhões até setembro, mais 71% do que no período homólogo

Os lucros dos sete maiores bancos – Caixa Geral de Depósitos, BCP, Novobanco, Santander Totta, BPI, Crédito Agrícola e Banco Montepio somam 2.006,3 milhões de euros até setembro deste ano, o que compara com um valor de 1.172 milhões nos nove meses do ano passado. O que significa que os lucros dos sete bancos cresceram 71,2%.
Comentários