5 tecnologias que morreram em 2017

Na voracidade do hoje, é preciso que alguns morram para que outros possam viver. Este foi o último ano da tecnologia 3D em televisões e de, pelo menos, quatro outros produtos e serviços que fizeram a sua época.

Televisões 3D

A tecnologia 3D em televisões chegou ao fim em 2017. A LG e a Sony, os dois últimos fabricantes ainda com modelos neste suporte, anunciaram logo em janeiro o fim da utilização da tecnologia. A Samsung e a Philips tinham anteriormente feito o mesmo. 

Kinect da Microsft

O sistema de jogos sem comando Kinect também vê a sua vida terminar. Lançado com a Xbox 360 permitiu à consola da Microsoft reconhecer em 3D os jogadores à frente de uma televisão, integrando-os no jogo. A Microsoft vendeu apenas 35 milhões de unidades desde 2010.

Instant Messenger da AOL 

A norte-americana encerrou definitivamente a 15 de dezembro o funcionamento do AOM (AOL Instant Messenger), um dos primeiros softwares de mensagens instantâneas da internet. Operacional desde 1997 era regularmente utilizado por cerca de 10 milhões de pessoas.

iPod Nano e iPod Shuffle 

O iPod, equipamento que desbravou o caminho no início deste século, é outro exemplo de produto descontinuado. Depois da versão Classic que chegou ao fim no final de 2014, este ano foi a vez do iPod nano e do iPod shuffle. O iPod nano tinha sido atualizado pela última vez em 2012, quando recebeu conectividade Bluetooth para ser compatível com fones de ouvido e alto-falantes sem fio. O iPod shuffle atingiu a quarta geração em 2010. 

Windows Phone

A Microsoft terminou em 11 de julho o suporte oficial ao Windows Phone 8.1, o seu sistema operativo para smartphones, focado no cliente final, lançado três anos antes. Os aparelhos equipados com esta versão deixaram de receber atualizações de segurança e acesso a suporte online, gratuito ou pago.

Recomendadas

Mercado das Tecnologias da Informação vai ultrapassar os 5 mil milhões em Portugal este ano, estima IDC

Os especialistas da consultora anteveem ainda que a transformação digital vá representar metade de todo o investimento nacional em TIC o até o final de 2025.

5G pode impactar PIB português em 18 milhões de euros até 2030, estima Ericsson

Apesar do enorme potencial, Andrés Vicente, CEO da Ericsson Iberia, aponta severos atrasos na implementação desta tecnologia em Portugal e na Europa. “Ao contrário de outras economias europeias, Portugal não colocou o 5G como vetor independente do PRR”, alerta este responsável em entrevista ao JE.

Gestora de ativos do Santander e EIT Innonergy lançam fundo de investimento em tecnologia amiga do ambiente

O novo veículo de investimento, cujo montante não foi revelado por aguardar aprovação do regulador dos mercados em Espanha, foi apresentado esta quarta-feira no evento ‘The Business Booster’, que está a decorrer na FIL – Feira Internacional de Lisboa.
Comentários