562 milhões até novembro. Passageiros de transportes públicos subiram 17% na área metropolitana de Lisboa

Nos primeiros onze meses deste ano foram transportados mais sessenta e três milhões de passageiros na área metropolitana da capital, face a igual período de 2018. Um efeito visível da redução do preço dos passes sociais a partir de abril.

/Twitter

Entre janeiro e novembro de 2019 foram transportados perto de 562 milhões de passageiros nos serviços de transporte público dentro da área metropolitana de Lisboa.

De acordo com dados da AML – Área Metropolitana de Lisboa, a que o Jornal Económico teve acesso, “desde a implementação do novo sistema tarifário, entre abril e novembro de 2019, foram transportados mais sessenta e três milhões de passageiros face a igual período de 2018, o que corresponde a um aumento médio de 17,4%”.

De acordo com um comunicado da AML, “estes números confirmam a adequação da medida às necessidades e ambições das populações”.

“Refira-se que, no primeiro trimestre de 2019, o número de passageiros transportados já apresentava um crescimento médio de 5%, em relação ao período homólogo do ano anterior”, ressalva a AML no mesmo documento.

Só no mês de novembro, de acordo com os dados disponíveis, foram vendidos 764.095 passes, o que representou um aumento de 36,3% em comparação com o período homólogo de 2018.

“Novembro manteve níveis de venda ligeiramente menores a outubro, sendo o segundo mês com maior número de vendas de passes desde a implementação do novo sistema tarifário”, destaca o comunicado da AML.

Ainda no mês de novembro foram transportados quase cinquenta e seis milhões de passageiros na Área Metropolitana de Lisboa, tendo por base as validações do sistema de bilhética, o que traduziu um aumento de 17,9% nas validações registadas face ao período homólogo.

“Regista-se também uma diminuição de 10,1% relativamente ao mês anterior outubro, o que se deve ao menor número de dias úteis do mês de novembro, com feriado durante a semana, e a interrupções letivas em algumas escolas (com semestres)”, esclarece a AML.

No referido mês de novembro, 88% dos passageiros transportados utilizaram títulos do tipo passe, e apenas 12% títulos ocasionais.

“A fidelização ao sistema de transportes é agora maior, resultado de um aumento do número de passageiros com passe, em detrimento de passageiros ocasionais, tendência que se começou a registar após a implementação do novo sistema tarifário, e que se mantém”, assinala a AML, precisando que “estes valores têm por base as validações do sistema de bilhética, não considerando eventuais fraudes”.

Setor rodoviário transporta 48% dos passageiros, setor ferroviário foi o que mais cresceu

De acordo com os dados recolhidos pela AML, o modo de transporte com mais passageiros na área metropolitana de Lisboa é o rodoviário, com 48% do total de passageiros, seguindo-se o metropolitano com 30% dos passageiros, o ferroviário pesado com 19%, e o fluvial com 3%.

“Porém, o modo que registou o maior aumento de passageiros desde a implementação do novo sistema tarifário foi o ferroviário pesado, com um aumento de cerca de 30% em novembro de 2019, em comparação com o período homólogo de 2018, quando no primeiro trimestre este incremento se situava perto dos 8%”, destaca o referido comunicado.

A AML observa ainda que no mês de novembro de 2019, por comparação com o período homólogo de 2018, os passageiros no modo rodoviário aumentaram 17%, enquanto os do metropolitano subiram 12%.

“Estes dados, no seu todo, confirmam a importância da implementação dos novos passes como medida de incentivo à utilização regular do transporte público. Sublinhe-se, ainda, o esforço e empenho de todos os intervenientes do sistema, especialmente os operadores de transporte dos diferentes modos, para responder aos desafios introduzidos pelo novo sistema tarifário”, defendem os responsáveis da AML.

Segundo esta instituição, os novos passes ‘NAVEGANTE’ representaram 97% dos passes vendidos na área metropolitana de Lisboa, correspondendo 60% dessas vendas ao passe ‘NAVEGANTE Metropolitano’, seguido do ‘NAVEGANTE Municipal’ com 17%, e do ‘+65’ com 14%.

“À semelhança do mês anterior, continua-se a registar uma tendência crescente na procura do ‘NAVEGANTE Família’ desde a sua entrada em vigor, em agosto de 2019, representando já mais de 3% das vendas do sistema, abrangendo um total de 7.068 agregados familiares e 26.728 pessoas”, destaca o comunicado da AML, assinalando ainda que foram carregados, desde abril, mais de 109.700 passes ‘NAVEGANTE 12’.

“Relativamente aos cartões ‘Lisboa VIVA’ (suporte físico necessário para o carregamento dos passes ‘NAVEGANTE’) produzidos, em comparação com período homólogo de 2018, houve um aumento, no mês de novembro, de 43%, o que significa que continua a haver, todos os meses, novas adesões, que se traduzem em cada vez mais utilizadores frequentes do serviço público de transporte de passageiros”, sublinham os responsáveis da AML.

 

Recomendadas

SAD do Sp. Braga com resultado positivo de 3,1 milhões de euros na época passada

Relativamente ao exercício financeiro que terminou a 30 de junho deste ano, que ainda não refletem a venda do passe futebolístico do defesa central David Carmo (transferência fechada para o FC Porto na ordem dos 20 milhões de euros), a SAD dos bracarenses destaca que este foi um período “pautado por múltiplos constrangimentos associados à pandemia”.

Sonaecom rasga acordo com Isabel dos Santos

“À Sonae passa a ser imputada uma participação na NOS de cerca de 36,8% do capital social e dos direitos de voto nessa sociedade”, detalha a empresa liderada por Cláudia Azevedo.

Toyota Caetano Portugal com lucros de 7,3 milhões no semestre

Em comunicado à CMVM, a Toyota Caetano Portugal diz que os resultados líquidos consolidados ascenderam a 7,3 milhões de euros, o que compara com 11,7 milhões em dezembro de 2021 e com 2,98 milhões em junho de 2021.
Comentários