5G. Anacom reitera convicção de concluir leilão em janeiro e atribuir todas as licenças até março de 2021

O presidente da Anacom, João Cadete de Matos, foi esta terça-feira à comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação explicar o regulamento do leilão do 5G, após requerimento do CDS-PP.

Presidente do Conselho de Administração, João Cadete de Matos | Manuel de Almeida/LUSA

O presidente do conselho de administração da Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom), João Cadete de Matos, reiterou esta terça-feira a convicção de que o leilão de atribuição das frequências da quinta geração da rede móvel (5G) ficará concluído em janeiro e, por conseguinte, a atribuição de todas as licenças de utilização das frequências ficará concluída até março de 2021.

“Contamos que durante o mês de janeiro, dependendo do número de rondas, ter o leilão concluído. A partir daí, fazer-se todos os procedimentos de atribuição dos direitos de utilização de frequências. Portanto, durante o primeiro trimestre , a Anacom conta que as empresas que saírem vencedoras do leilão tenham as licenças atribuídas e estejam em condições de desenvolver os seus negócios”, afirmou Cadete de Matos, na Assembleia da República.

A posição da Anacom foi transmitida esta terça-feira comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, durante a audição parlamentar sobre o regulamento do leilão do 5G, requerida pelo CDS-PP.

Na sua intervenção inicial, João Cadete de Matos garantiu, ainda, que o processo do leilão está a decorrer de acordo com o calendário da Anacom. A fase de candidatura dos operadores interessados no leilão já terminou e, segundo o presidente da Anacom, a qualificação de todos os candidatos já foi verificada. Segue-se, agora, a fase de licitação.

“Entrámos agora na fase seguinte, que é a fase das licitações. De acordo com o regulamento, há duas fases. Uma fase de licitação para novos entrantes e, depois, a fase de licitação principal”, disse.

“O leilão contempla licenças de utilização de várias tecnologias- não só 5G, mas também 4G”, acrescentou o responsável do regulador das comunicações, explicando que no caso das faixas do 5G todo o espetro disponível (700 MHz e 3,6 GHz] está disponível no leilão.

Cadete de matos destacou também dois objetivos do leilão das frequências em curso. O primeiro objetivo do leilão mencionado foi a reserva de espetro, que, segundo a Anacom, existe só nas frequências do 4G. “Onde existe uma reserva de espetro para novos entrantes é apenas nas frequências associadas ao 4G [900 MHz e 1.800 MHz] e nessas frequências a reserva de espetro é uma pequena percentagem da quantidade de espetro atribuída”.

Outro objetivo mencionado por Cadete de Matos está relacionado com a cobertura do território nacional. “O objetivo importante é ter no prazo de três anos todo o território (75% da população e cada freguesia de baixa densidade) coberta com 100 MBps  por download. E no prazo de cinco anos 90% de cada uma dessas freguesias”.

O presidente do regulador das comunicações referiu, ainda, que o leilão do 5G, em Portugal, é o “mais extenso da União Europeia”, por disponibilizar ao mercado a maior quantidade de espetro, na Europa.

Migração da TDT termina na sexta-feira
Para o cumprimento do atual calendário do regulador setorial, Cadete Matos salientou a importância da conclusão do processo de migração da televisão digital terrestre (TDT) da faixa dos 700 MHz, essencial para o desenvolvimento do 5G.

Segundo o regulador, a migração da TDT termina na sexta-feira, dia 18 de dezembro, “libertando assim a faixa dos 700 MHz que é uma das faixas que será disponibilizada” para o 5G. “É um processo que termina na Madeira”, acrescentou.

Durante o processo de migração da TDT, a Anacom recebeu “mais de 105 mil chamadas de apoio” e teve cerca de cinco mil pessoas que pediram apoio para fazer as suas sintonias.

 

 

Relacionadas

Leilão 5G: “Estão criadas as condições para que decorra com normalidade”, diz presidente da Anacom

O presidente da Autoridade Nacional das Comunicações mostra-se confiante de que ainda este ano ou no início de 2021 irão começar as rondas para a atribuição das frequências, assumindo não existir uma data limite para o fim do leilão da rede móvel de quinta geração.

Altice, NOS, Vodafone e Dense Air formalizam candidaturas para o leilão do 5G

Apesar da contestação dos operadores históricos, que motivou ações em tribunal, a dona da Meo, a NOS e a Vodafone Portugal querem entrar na corrida pelas faixas do 5G. Dense Air também vai a jogo.

5G faz disparar litigância. Operadores já avançaram com cinco providências cautelares para travar leilão

Oposição de Altice, NOS e Vodafone fez disparar os episódios de litigância contra o regulador das comunicações. Operadores históricos querem travar leilão do 5G, numa altura em que, pelo menos, 18 países da Europa já têm serviços comerciais 5G, entre os quais Espanha, Alemanha e Reino Unido.
Recomendadas

Implementação do Metro do Porto foi “processo de catequização”

O administrador dos Transportes Intermodais do Porto (TIP), Manuel Paulo Teixeira, disse à Lusa que a equipa que lançou o Metro do Porto, da qual fez parte, fez “um processo de catequização” para convencer pessoas, autarcas a instituições.

Amazon planeia gastar 95 milhões de euros por ano em publicidade no Twitter

Este valor faz parte da estratégia da retalhista online no regresso à publicidade na rede social agora liderada por Elon Musk, mas está ainda dependente de alguns “ajustes de segurança” na plataforma de anúncios do Twitter.

Comércio online representou 22% de todo o comércio na Black Friday

As compras por MB Way dispararam face a 2019, com uma subida de 1.730%, de acordo com os dados divulgados pelo Forward Payment Solutions (SIBS).
Comentários