Premium70 empresas britânicas testam semana de trabalho de quatro dias

Não é só por cá que se discute a redução da semana de trabalho. No Reino Unido, 70 empresas começaram a testar esse modelo.

Portugal não está sozinho na discussão sobre a semana de trabalho de quatro dias, ideia que, não sendo nova, tem conquistado um novo fôlego nos últimos anos. No Reino Unido, arrancou este mês um projeto-piloto, no âmbito do qual 70 empresas e mais de três mil trabalhadores vão testar durante seis meses o modelo de uma semana de trabalho mais curta.

A informação oficial dá conta de que estão a participar empresas de variados sectores, do hoteleiro ao financeiro, detalhando-se que os trabalhadores envolvidos não vão sofrer perdas remuneratórias. O objetivo desta experiência é apurar o impacto da redução da semana de trabalho na produtividade, bem como no bem-estar dos trabalhadores. Aliás, será aplicado o modelo 100:80:100, isto é, mantém-se 100% do salário, reduzindo-se o período de trabalho para 80%, mas exigindo-se, em contrapartida, 100% da produtividade. Em paralelo, as empresas terão acesso a programas de mentoria e formação, além de poderem trocar impressões com as demais participantes.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

SATA prevê saída de 150 trabalhadores até final de 2023 através de rescisões negociadas

Cerca de 100 trabalhadores já saíram da companhia aérea açoriana SATA desde que foi lançado o primeiro programa de rescisões, em 2020.

Empresas TVDE criaram mais de sete mil empregos em seis anos

Entre 2013, ano anterior ao lançamento da operação da Uber em Portugal, e 2019, o número de empresas no sector (plataformas de transportes de passageiros) cresceu 71%.

Há 45 anos foi vendida a primeira Coca-Cola em Portugal

Foi a 4 de julho de 1977, num café na Baixa de Lisboa. “Não só faz parte da história do país como contribui ativamente para a economia nacional. Por cada euro que é gasto em Coca-Cola, 81 cêntimos permanecem em Portugal”, diz Rui Serpa, diretor em Portugal da Coca-Cola Europacific Partners.
Comentários