92% dos madeirenses estão abertos a comprar um smartphone recondicionado online

Os consumidores consideram a responsabilidade ambiental, a conveniência e a poupança financeira os principais fatores que influenciam este tipo de compra de dispositivos recondicionados.

Moda e Inteligência Artificial

A compra online de smartphones recondicionados é algo a que 92% dos consumidores madeirenses considerariam, revela um estudo.

O estudo, levado a cabo pela Swappie, uma empresa europeia de compra e venda de iPhones recondicionados, e pela empresa de estudos de mercado, Kantar, abrangeu um universo de mil portugueses entre os 18 e os 64 anos, concluindo que as compras online destes equipamentos recondicionados são já um hábito de compra estabelecido.

Os consumidores consideram a responsabilidade e a conveniência os principais fatores que influenciam este tipo de compra de telemóveis recondicionados, reconhecendo ainda que esta é uma opção mais sustentável, promovendo a economia circular. Outro fator importante foi a poupança financeira, visto que os consumidores consideram a qualidade de um equipamento recondicionado equiparável a um dispositivo novo.

“Ajudar os consumidores a fazer escolhas conscientes e responsáveis faz parte da nossa missão na Swappie, onde através da compra e venda de smartphones recondicionados, neste caso iPhones, pretendemos promover um estilo de vida mais sustentável e contribuir para a transição para uma economia circular”, refere Luísa Vasconcelos e Sousa, responsável da Swappie no mercado português.

O mercado dos smartphones recondicionados continua a ganhar cada vez mais volume e estima-se que cresça a uma taxa anual de 10,23% entre 2022 e 2027, revela a Swappie.

Recomendadas

Dois praticantes de parapente morrem na sequência de acidente durante voo na Madeira

Segundo as informações recolhidas pelo município, os dois homens terão tido o acidente “na encosta que divide a freguesia dos Canhas e da Ponta do Sol, junto à escarpa, havendo indicações de que caíram num terreno agrícola”.

Madeira: “Se não fossem os monopólios, teríamos o Ferry todo o ano”, diz JPP

Élvio Sousa refere que o Ferry é um transporte viável para introduzir concorrência no preço dos fretes do transporte contentorizado, sublinhando que o Armas já deteve 10% do transporte de mercadorias da Região.

Madeira: BE promove iniciativa solidária e doa mais de 450 euros à causa animal

Apesar de alguns avanços, os jovens consideram que ainda há muita crueldade e muito a fazer no campo da consciencialização das pessoas para o bem-estar animal e na forma como os animais devem ser tratados, bem como para a responsabilização que os donos devem ter perante os seus animais.
Comentários