9,3 mil milhões de euros nos cofres do Estado até ao final do ano

Até ao final deste ano, o governo prevê ter 9,3 mil milhões de euros em depósitos e outros instrumentos de liquidez nas caixas centrais do Tesouro, representando um aumento de 41% nesta almofada de segurança em relação ao final de 2015.

De acordo com os dados da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública – IGCP, compilados e divulgados hoje pelo DN/Dinheiro Vivo, este aumento de 41% nesta almofada de segurança, representa a maior subida desde 2012, quando o programa da troika impunha a existência deste tipo de margens para ajudar os bancos que precisassem.

Segundo a informação divulgada, uma parte destes 9,3 mil milhões seria para os gastos com a recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD), que exige uma injeção direta de 2,7 mil milhões de euros em fundos público, mais garantias. Tendo a operação sido adiada para 2017, acabou por sobrar dinheiro, que foi usado, em parte, para pagar mais cedo o empréstimo ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

A esta situação juntou-se o facto de o governo ter conseguido arrecadar mais dinheiro em poupanças domésticas (mais obrigações de taxa variável) e mais em bilhetes do Tesouro. Estes fundos deram uma boa ajuda a esse pagamento antecipado, segundo adiantou o matutino.

“O IGCP projeta fechar o ano com uma posição de liquidez (excluindo colaterais) de cerca de nove mil milhões de euros, mais 2,7 mil milhões de euros face aos depósitos de final de 2015, refletindo o adiamento da capitalização da CGD para 2017”, de acordo uma nota da agência aos investidores internacionais.

Recomendadas

PRR, mesmo sem inflação, sofreria dos mesmos problemas

Execução da bazuca enfrentaria dificuldades com burocracia e mudanças na economia global, reforçando papel dos contabilistas.

Cabo Verde quer reforçar combate à pobreza com aumento de 25% da taxa turística

Governo liderado por Ulisses Correia e Silva prevê arrecadar 8,6 milhões de euros com o aumento da taxa, que serão canalizados para o fundo de financiamento Programa Mais, Mobilização pela Aceleração da Inclusão Social, concebido para apoiar projetos de combate à pobreza extrema e exclusão social, segundo a Forbes África Lusófona.

Receitas do turismo estão 14% acima das do pré-pandemia

Os resultados até agora obtidos são animadores, contudo a crescente subida dos preços traz alguma apreensão
Comentários