Segundo o banco, considerado a maior instituição financeira pública do Brasil, serão fechadas 31 superintendências regionais e 402 agências. Outras 379 agências serão transformadas em postos de atendimento bancário.

Com estas mudanças, 781 agências de um total de 5.430 deixarão de existir, número que corresponde a 14%.

Num comunicado ao mercado, o Banco do Brasil destacou que o encerramento das agências resultará numa economia anual com despesas administrativas de 750 milhões de reais (211 milhões de euros).

Paralelamente, foi aprovado um plano extraordinário de reformas que pode atingir até 18 mil funcionários já aptos a aderir voluntariamente ao plano.

Os impactos financeiros do plano serão divulgados ao mercado após o encerramento do período de adesão, mas o presidente do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, disse que o encerramento das agências e o plano de reformas podem representar uma economia de 3,9 mil milhões de reais (1,09 mil milhões de euros).