“A Arte da Guerra”. “Blinken e Lavrov? É preciso manter os canais abertos independentemente das divergências”

“É preciso manter os canais abertos independentemente das divergências. Por muita conflitualidade que possa gerar internamente, o encontro entre Lavrov e Blinken é uma forma de manter as portas abertas e essa é a única forma de sair de uma guerra”, destacou o embaixador Francisco Seixas da Costa no programa da plataforma multimédia JE TV.

O chefe da diplomacia norte-americana, Antony Blinken, anunciou a 29 de julho que teve uma discussão “franca” com o seu homólogo russo, Serguei Lavrov, tendo-lhe dito que o mundo “nunca reconhecerá a anexação de territórios ucranianos”.

Uma possível aproximação entre EUA e Rússia foi analisada na última edição do programa “A Arte da Guerra”.

“É preciso manter os canais abertos independentemente das divergências. Por muita conflitualidade que possa gerar internamente, o encontro entre Lavrov e Blinken é uma forma de manter as portas abertas e essa é a única forma de sair de uma guerra”, destacou o embaixador Francisco Seixas da Costa no programa da plataforma multimédia JE TV.

Relacionadas

Giorgia Meloni: do neofascismo a favorita a suceder a Draghi. Veja a “A Arte da Guerra” com Francisco Seixas da Costa

Líder dos Fratelli d’Italia poderá formar uma maioria de direita que ameaça desviar o país da rota determinada por Mario Draghi. A perigosa viagem de Nancy Pelosi à Ásia e uma solução diplomática para a guerra na Ucrânia serão outros temas analisados nesta edição do programa da plataforma multimédia JE TV.
Recomendadas

“A Arte da Guerra”. Investigação a Trump “vai acelerar decisão de recandidatura”

Tudo indica que Donald Trump está prestes a tornar-se no próximo candidato republicano às presidenciais de 2024. Já neste hemisfério, a forma como o regime iraniano lidou com o ataque a Salman Rushdie e a prestação dos russos no terreno de guerra são também temas analisados pelo embaixador Francisco Seixas da Costa.

“A Arte da Guerra”. “Taiwan? Meter-se com a China é como mexer num vespeiro”

“Taiwan? A forma como se mexeu no vespeiro tornou-o incontrolável. Há qualquer coisa a mexer na China este ano e há aqui um elemento novo que é a questão russa. A guerra na Ucrânia obrigou a China a ir para o lado contrário dos EUA”, destacou o embaixador Francisco Seixas da Costa no programa da JE TV.

“A Arte da Guerra”. “A UE tem sempre o Óscar para melhor ator secundário no Médio Oriente”

“Só os EUA têm capacidade de influência no Médio Oriente. O resto é conversa. A União Europeia tem sempre o Óscar para melhor ator secundário nesta região. Paga as contas e as destruições que Israel faz, tenta ser relevante mas os EUA não dão o mínimo espaço”, sublinhou  o embaixador Francisco Seixas da Costa.
Comentários