“A Arte da Guerra”. “Com este acordo, a Rússia conseguiu abrir uma porta de flexibilização das sanções”

“Com este acordo, a Rússia consegue a exportação dos seus próprios cereais e fertilizantes, sendo que nenhum destes produtos estão incluídos nas sanções. A Rússia conseguiu aqui abrir uma porta de flexibilização das sanções”, destacou o embaixador Francisco Seixas da Costa no programa da JE TV.

“Rússia demonstrou flexibilidade, mas alguma vantagem” com a assinatura do acordo dos cereais, tanto do ponto de vista alimentar, como talvez principalmente no que tem a ver com o ‘cordão’ de países que se encontram ao seu lado, ao cabo de cinco meses de guerra na Ucrânia.

“Com este acordo, a Rússia consegue a exportação dos seus próprios cereais e fertilizantes, sendo que nenhum destes produtos estão incluídos nas sanções. A Rússia conseguiu aqui abrir uma porta de flexibilização das sanções”, destacou o embaixador Francisco Seixas da Costa no programa da JE TV.

Relacionadas

Do gás russo aos cereais ucranianos: Nem só de armas se faz uma guerra. Veja “A Arte da Guerra” com Francisco Seixas da Costa

Na Ucrânia, o acordo para a exportação de cereais ucranianos abriu um caminho para a saída de bens russos. A nova (e polémica) Constituição da Tunísia e o tortuoso caminho de Joe Biden nos próximos dois anos serão outros temas analisados pelo embaixador Francisco Seixas da Costa.
Recomendadas

“A Arte da Guerra”. Investigação a Trump “vai acelerar decisão de recandidatura”

Tudo indica que Donald Trump está prestes a tornar-se no próximo candidato republicano às presidenciais de 2024. Já neste hemisfério, a forma como o regime iraniano lidou com o ataque a Salman Rushdie e a prestação dos russos no terreno de guerra são também temas analisados pelo embaixador Francisco Seixas da Costa.

“A Arte da Guerra”. “Taiwan? Meter-se com a China é como mexer num vespeiro”

“Taiwan? A forma como se mexeu no vespeiro tornou-o incontrolável. Há qualquer coisa a mexer na China este ano e há aqui um elemento novo que é a questão russa. A guerra na Ucrânia obrigou a China a ir para o lado contrário dos EUA”, destacou o embaixador Francisco Seixas da Costa no programa da JE TV.

“A Arte da Guerra”. “A UE tem sempre o Óscar para melhor ator secundário no Médio Oriente”

“Só os EUA têm capacidade de influência no Médio Oriente. O resto é conversa. A União Europeia tem sempre o Óscar para melhor ator secundário nesta região. Paga as contas e as destruições que Israel faz, tenta ser relevante mas os EUA não dão o mínimo espaço”, sublinhou  o embaixador Francisco Seixas da Costa.
Comentários