A automação e o marketing: as principais tendências para 2022

O relatório do Search Engine Journal coloca em destaque o papel fundamental da automação num cenário que exige não só agilidade, mas também uma gestão eficaz dos dados dos consumidores.

 

Os mercados crescem e a par crescem também os consumidores. Existe nos dias que correm a necessidade possibilitar aos consumidores uma experiência personalizada, mas esta necessidade torna-se num grande desafio quando o fluxo de dados a ter em conta se torna tão alargado. A solução para este desafio passa então pela adoção de estratégias de automação de marketing. A tecnologia, aplicada à estratégia de marketing digital, procura usar ferramentas para facilitar processos de relação com atuais e potenciais consumidores.

 

O relatório PPC Trends 2022, que foi produzido pela instituição americana de pesquisas de marketing Search Engine Journal, dá conta de que a automação de marketing é a principal tendência para este ano. Estas conclusões colocam em cima da mesa a visão de especialistas na área e reforça que o papel da automação neste e nos próximos anos. A automação apresenta-se como uma ferramenta relevante para ajudar profissionais a tomar decisões baseadas em dados. Neste cenário onde vivemos marcado por uma grande quantidade de informações, vindas de várias fontes, o relatório destaca ainda que consolidar dados é um processo que só poderá ser concluído com a ajuda da automação. Assim, as empresas que investirem na tecnologia podem ter uma vantagem face aos concorrentes, sobretudo na agilidade.

 

Marcelo Caruana, Head de Marketing da E-goi, explica que com poucos cliques e muita estratégia, a automação permite que o objetivo de entregar o conteúdo certo aos consumidores certos, no momento certo, pode passar a ser uma realidade cada vez mais consolidada. “É possível entender e agir de maneira personalizada e escalável junto à audiência nos diversos meios online. O resultado será o aumento da receita e dos lucros da empresa, além de uma evidente melhoria na retenção de consumidores e diminuição do custo de aquisição de novos clientes”.

 

Ainda segundo Marcelo Caruana, também o envio de SMS com finalidade de marketing ou até o agendamento de publicações nas redes sociais são tarefas automatizadas. Ainda assim, são muito abaixo do que é considerado automação de marketing. “O objetivo é otimizar processos e conquistar os resultados esperados, algo que vai muito além do que pode ser feito por um robô. Quando falamos em automação de marketing, falamos de estratégia, sobre compreender e respeitar profundamente o interesse do lead na sua jornada de compra. Quando o fluxo de automação vai bem, a relação com os clientes é efetivamente beneficiado”, explica.

 

Para a construção de uma campanha de Marketing Digital assente na automação será preciso delinear bem a estratégia pretendida para o negócio. É necessário ter em conta as suas personas que queremos impactar e quais são as melhores métricas a utilizar. É ainda importante estabelecer de que forma será feita a interação de modo a gerar a lead em cada uma das etapas do funil de vendas (canal, tipo de mensagem, frequência) e qual será o conteúdo que será oferecido em cada etapa. O passo seguinte passa pela implementação, que pode ser feita com o acompanhamento de especialistas de Marketing Digital. Ao longo de toda a campanha os resultados devem ser sempre acompanhados de perto, através de testes que darão a oportunidade de aplicar as melhorias necessárias, para que a automação traga os resultados esperados.

 

O conteúdo personalizado com a possibilidade de comunicação multicanal automatizada permitiu que passasse a ser possível a angariar leads, que quanto mais aprofundadas, melhor. A automação possibilitou ainda que o trabalho a desempenhar passasse a ser mais produtivo, principalmente no que toca a equipas relacionadas com vendas. Por fim, esta ferramenta oferece também a possibilidade de criar um ciclo de vendas relativamente mais curto, porque ao ter um funil a funcionar de forma mais eficiente será possível obter maiores taxas de conversão.

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com a E-goi.

Recomendadas

Sete ideias de investimento que podem trazer retorno inesperado

Com o mercado de ações a flutuar, Maxim Manturov, Head of Investment Advice na Freedom Finance Europe, explora sete ações subvalorizadas, que permitem aos investidores diversificar o seu portfolio.

“Os consumidores estão muito mais preocupados com aquilo que comem mas mais sensíveis às modas”

Paula Bico, Diretora do de Serviço de Nutrição e Alimentação da DGAV, alerta sobre a necessidade de mais informação para permitir aos consumidores fazer escolhas informadas.

Startups: o motor de inovação do mundo Corporate

O mercado de startups em Portugal é ainda jovem, mas está vibrante e em franco crescimento, representando já 1,1% do PIB nacional. Há, atualmente, mais de 2150 startups registadas no nosso País, 13% acima da média europeia de número de startups per capita.
Comentários