À boleia de Beckett no Teatro Nacional São João

Vladimir e Estragon dão vida a sonhos e desesperanças, conduzidos pela batuta do ‘maestro’ Gábor Tompa no palco do Teatro Nacional São João, no Porto. O ano termina “À Espera de Godot”.

© Teatro Nacional São João

O clássico de Samuel Beckett, aqui revisitado pelo multipremiado encenador romeno-húngaro Gábor Tompa, na sequência do repto da instituição portuense, foi encenado “como um maestro que recria, com músicos diferentes, uma estrutura musical de uma assombrosa precisão”.

O texto levanta questões hoje tão à flor da pele (será que alguma vez não estiveram?) como a interdependência, a solidariedade ou a dimensão do sagrado, para não falar da necessidade de promover o diálogo num mundo cada vez mais polarizado e pautado por extremismos e pela intolerância. Diferentes tipos de cegueira, portanto. Mas também sonhos.

Aqui entra em cena Vladirmir e Estragon. E a vontade de Estragon (E) partilhar um sonho que teve. “Não me contes”, diz Vladimir (V). “Sonhei que…” (E) “Não me contes!” (V) A tentativa, que será frustrada ao longo da peça, de partilha da intimidade é gorada pela recusa implacável de Vladimir, que rejeita (ou teme) a intimidade. “(…) Sabes que não suporto essas coisas”, diz numa ocasião. Mas a verdade é que passam toda a peça no exercício da discussão e da discórdia, e na sua antítese, i.e., no prazer de concordarem, ao ponto de, por vezes, caírem nos braços um da outro, num esfuziante e alegre reencontro.

Vladirmir e Estragon aguardam por alguém que não chega, que nunca chega: Godot, personagem-mistério que Beckett sempre se recusou a identificar com Deus, porque, mais do que aquilo que esperamos, lhe interessava realçar o que acontece enquanto esperamos. Sempre em busca do sentido da vida e do mundo, de decifrar a complexidade das relações humanas. João Melo, Maria Leite, Mário Santos, Rodrigo Santos e Vicente Melo vestem a pele dos personagens beckettianos que insistem em esperar Godot.

“À Espera de Godot” está em cena no Teatro Nacional São João, no Porto, de 10 a 19 de dezembro. Consulte aqui o horário das sessões.

Recomendadas

GameStop: o poder das comunidades

Weekend: A equipa da Instinct deixa-lhe sugestões de entrevistas, livros, filmes, séries, podcasts e artigos que o/a vão ajudar a entender, refletir e inspirar sobre o futuro para inovar com impacto.

Ministro da Cultura quer consenso alargado nas diretivas sobre direitos no mercado digital

A diretiva europeia que adapta a gestão dos direitos de autor e dos direitos conexos ao meio digital vai estar em consulta pública, período durante o qual poderão voltar a ser ouvidas as partes interessadas no processo.

Bankinter é mecenas da exposição “Faraós Superstars” na Fundação Gulbenkian

A exposição “Faraós Superstars” pretende fazer uma reflexão sobre a popularidade dos faraós, reunindo 250 peças de importantes coleções europeias, provenientes de diferentes períodos históricos, desde antiguidades egípcias, passando pelas iluminuras medievais e pintura clássica até à música pop.
Comentários