PremiumÁlvaro Beleza: “A economia deve mandar e as finanças obedecer”

Álvaro Beleza defende um “bloco central de reformas” estruturais para o país e a primazia da economia face às finanças. O responsável da SEDES quer menos carga fiscal do que em Espanha e mais doutorados nas empresas.

Cristina Bernardo

Portugal precisa de um “bloco central” que permita avançar com reformas estruturais que coloquem o país a dobrar o Produto Interno Bruto (PIB) em 20 anos. O argumento é de Álvaro Beleza, presidente do conselho coordenador da SEDES, que defende o papel predominante da economia face às finanças públicas.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Portugal atrativo para investir, China atenta a transportes e ambiente, revela relatório

Portugal é um país atrativo para se investir no desenvolvimento de infraestruturas e a China está atenta a projetos e eventuais contratos na área dos transportes e do ambiente, segundo um relatório hoje divulgado em Macau.

Taxa de emprego na UE cresceu 0,3 pontos percentuais no segundo trimestre

Portugal foi um dos poucos Estados-membros onde a taxa reduziu, neste caso 0,1 p.p., face ao primeiro trimestre, de acordo com os dados divulgados pelo Eurostat.
Comentários