A escassez dos semicondutores

Muitos investidores têm entrado neste mercado devido ao seu crescimento, seja através da compra de ações individuais ou através de ETF, sendo que na Europa existem apenas dois disponíveis.

Nos últimos anos, houve um grande crescimento na procura por eletrónicos, sendo eles eletrodomésticos, computadores ou equipamento médico. Esta alta procura, juntamente com o fecho das fábricas, devido à atual pandemia, gerou um desequilíbrio entre a procura e a oferta destes componentes, os semicondutores, presente em todos os eletrónicos.

Este acontecimento gerou um aumento nos preços dos eletrónicos, sendo que a previsão é para continuarem a aumentar, pois, apesar de já existirem planos em ação para a construção de novas fábricas, as mesmas só estarão operacionais em 2023.

A Semiconductors Equipment and Materials anunciou em junho deste ano que serão construídas 19 fábricas em 2021 e uma dezena em 2022, devendo a construção das mesmas, incluindo a instalação de equipamento, estar concluída em 2023. Estas fábricas estão distribuídas da seguinte forma: oito na China, seis em Taiwan, seis na América do Norte, duas no Japão e duas na Coreia do Sul.

A chegada do 5G veio também contribuir para esta escassez, uma vez que os semicondutores utilizados nos equipamentos que suportam esta nova tecnologia são os mesmo que a indústria automóvel utiliza, aumentando a necessidade daqueles semicondutores sem aumentar a produção dos mesmos, devido à incompatibilidade das fábricas em produzir as quantidades necessárias.

No entanto, esta escassez tem afetado positivamente os mercados. Em 2019, o mercado dos semicondutores cresceu cerca de 29,2%, sendo que o índice PHLX, que segue o sector dos semicondutores, disparou cerca de 100% entre 2019 e 2020, registando neste momento um crescimento de 20%, YTD.

Muitos investidores têm entrado neste mercado devido ao seu crescimento, seja através da compra de ações individuais ou através de ETF, sendo que na Europa existem apenas dois disponíveis – um foi criado em dezembro de 2020 e pertence à empresa VanEck, o outro data de agosto de 2021 e é detido pela BlackRock.

Uma das maiores empresas neste mercado é a NVIDIA, a qual tem registado um forte crescimento: no dia 18 de agosto, os resultados do segundo trimestre deste ano atingiram valores recorde, com um crescimento de 15% em apenas três meses, superior, por exemplo, ao valor anual médio de retorno do S&P500.

Os retornos deste mercado estão acima da média de outros índices, sendo que os mesmos são justificados pelo risco acrescido inerente ao setor, mas dada a contínua evolução para uma era cada vez mais digital, será este um mercado verdadeiramente com elevado risco?

O artigo exposto resulta da parceria entre o Jornal Económico e o ITIC, o grupo de estudantes que integra o Departamento de Research do Iscte Trading & Investment Club.

Recomendadas

‘Off-site’

Em Portugal, arquitetos e indústria da construção têm-se mostrado relutantes em discutir pré-fabricação e sistemas modulares customizados. Importa refletir sobre o seu potencial de futuro.

O circo do novo aeroporto, o domador e o leão

O domador achava que era leão e o engolidor de fogo vestia-se de trapezista – determinado a não adiar a concretização de uma solução fundamental para o país e o trapezista de Belém vestia-se de engolidor de fogo.

Lisboa regrediu quase cem anos

Nos últimos 40 anos, Lisboa perdeu 260 mil habitantes, devido a más políticas públicas, a inércia administrativa e a transformações económicas, algumas das quais inevitáveis.
Comentários