“A esperança vive no extraordinário caminho da ciência”, diz Catarina Martins sobre vacinação

A líder bloquista frisou, nas redes sociais, que “começou a vacinação contra a Covid. Os profissionais de saúde mais expostos serão os primeiros; cuidar de quem nos cuida. Serão longos meses até que toda a população esteja vacinada”.

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, destacou nas redes sociais o início da vacinação contra a Covid-19 em Portugal e no resto da Europa e apontou que “a esperança vive no extraordinário caminho da ciência”.

“Começou a vacinação contra a Covid. Os profissionais de saúde mais expostos serão os primeiros; cuidar de quem nos cuida. Serão longos meses até que toda a população esteja vacinada. Nada foi nem será fácil nestes tempos, mas a esperança vive no extraordinário caminho da ciência”, escreveu Catarina Martins no Twitter.

Na sua mensagem de Ano Novo, esta segunda-feira, 28 de dezembro, Catarina Martins sublinhou que em 2021 será preciso “coragem de fazer o que nunca foi feito” para que o país consiga superar a crise sanitária, económica e social motivada pela pandemia de Covid-19.

“Uma crise como nunca vivemos precisa da coragem de fazer o que nunca foi feito. Resgatar os precários e reconstruir emprego e salários dignos, acesso à habitação, proteger o SNS [Serviço Nacional de Saúde] e a escola, lutar com quem luta por direitos iguais e contra as alterações climáticas”, destacou a bloquista num vídeo divulgado pelo partido.

Relacionadas

Catarina Martins: “2021 precisa da coragem de fazer o que nunca foi feito”

A coordenadora do BE defendeu esta segunda-feira, numa mensagem pública de Ano Novo, que 2021 “precisa da coragem de fazer o que nunca foi feito” para Portugal superar a crise sanitária, económica e social provocada pela pandemia de Covid-19.

BE propõe que complemento solidário para idosos tenha limiar da pobreza como referência

“Em Portugal há um grande número de pensionistas que têm pensões que ficam abaixo do limiar da pobreza e, por isso, foi criado o complemento solidário para idosos, mas, de uma forma absurda, o complemento solidário para idosos não foi atualizado, teve sempre um valor abaixo do limiar da pobreza”, referiu Catarina Martins.
catarina_martins_oe_2020

Catarina Martins defende mais apoios devido a maiores restrições na passagem de ano

A líder do Bloco pediu responsabilidade aos portugueses para que preservem a sua saúde e, por consequência, também a do Sistema Nacional de Saúde, cuja capacidade de resposta deve estar garantida, especialmente numa altura em que surgem notícias internacionais de uma nova estirpe possivelmente mais contagiosa do coronavírus causador da Covid-19.
Recomendadas

Covid-19: China anula várias medidas de prevenção e sinaliza fim da estratégia ‘zero casos’ (com áudio)

O Conselho de Estado (Executivo) anunciou que quem testar positivo para o vírus pode, a partir de agora, cumprir isolamento em casa, em vez de ser enviado para instalações designadas, muitas vezes em condições degradantes.

Covid-19: Pandemia provocou mais 300 mil mortes na UE do que as oficiais, diz OCDE

“No final de outubro de 2022, mais de 1,1 milhões de mortes de covid-19 foram reportadas em todos os 27 países da UE, mas os dados sobre o excesso de mortalidade sugerem que se trata de uma subestimativa e que mais 300 mil pessoas morreram devido ao efeito direto ou indireto da pandemia”, refere o relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e da Comissão Europeia (CE).

Covid-19: Problemas de saúde mental aumentaram na Europa, sobretudo nos jovens

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) explica no relatório comparativo da situação de saúde na Europa que, enquanto em 2019 a percentagem de jovens entre 15 e 24 anos com sintomas de depressão era de 6%, contra 7% nos adultos, com o coronavírus os números aumentaram em todos os países para os quais existem dados.
Comentários