A eterna leveza da frugalidade

O que um partido como a Iniciativa Liberal preconiza para a gestão autárquica é claridade na missão, trazendo uma gestão frugal do dinheiro dos munícipes naquilo que realmente é necessário para nos tornar os melhores do mundo e que envolva a sociedade de uma forma apaixonada.

Frugal tem sido um adjetivo muito usado, principalmente na altura em que Portugal estava a recuperar da crise de divida pública causada pelo governo PS, que significa alguém que mostra sobriedade ou moderação.

Digamos que esta qualidade é contrária ao que de forma recorrente vemos nas redes sociais, onde digital influencers competem para alcançar cada vez mais audiência, ou manchetes que nos chamam a atenção para determinado conteúdo, ou mesmo na forma como se efetua a gestão pública.

Nos últimos anos apareceu um tipo de político/gestor público que tem como mantra apresentar as políticas de forma intempestiva e grandiosa, normalmente tentando associar às ultimas tendências tecnológicas, ou comunicar com a população infantilizando-a através da redução da mensagem a um conjunto de caras e sítios bonitos apelando ao sentimento.

Temos vários exemplos numa série de níveis do Estado português, no entanto, com o aproximar da data das eleições autárquicas concentremo-nos nas autarquias.

Infelizmente exemplos não faltam, desde o anúncio de projetos sem qualquer tipo de análise de custo/beneficio (ex: ainda se lembram do pulular de serviços municipais de entrega de comida ao domicílio?), iniciativas sem sustentação científica sólida (ex: onde para a vacina Sputnik V que o autarca de Cascais queria usar em Portugal?), ou medidas discriminatórias da forma de tratamento dos munícipes (ex: privilegiando os alunos do ensino público no acesso a serviços municipais como no caso do complexo desportivo de Alcabideche).

Um dos princípios de gestão discutido no livro “Good to Great” escrito por Jim Collins é o conceito do ouriço-caixeiro (hedgehog concept), onde uma empresa para ter sucesso deverá guiar-se de forma implacável e consistente por uma missão que resulta da interseção de três coisas. Aquilo em que se pode tornar a melhor do mundo, no que acredita de forma apaixonada e no que melhor impulsiona o seu motor gerador de riqueza (seja económico no caso de empresas seja a recolha dos recursos necessários à prossecução da missão no caso do sector social).

Este princípio permite evitar a falta de frugalidade da gestão atual, pois permite dizer não a oportunidades que nos desviem desse propósito desbaratando recursos públicos e frustrando a autarquia na sua missão.

O que um partido como a Iniciativa Liberal preconiza para a gestão autárquica é essa claridade na missão, trazendo uma gestão frugal do dinheiro dos munícipes naquilo que realmente é necessário para nos tornar os melhores do mundo e que envolva a sociedade de uma forma apaixonada.

Em Cascais a Iniciativa Liberal acredita que podemos ser os melhores na forma simples como permitimos à sociedade civil seguir os seus sonhos, construindo os alicerces para possibilitar atingir a melhor qualidade de vida dos munícipes onde todos podem crescer, estudar, trabalhar e descansar.

Para isso, precisamos de ser frugais e fazer mais com menos, deixando de sobrecarregar os munícipes de impostos e taxas. Por fim precisamos de um plano de recuperação dos atrasos estruturais do concelho ao nível da mobilidade, transparência e gestão autárquica, ambiente, coesão social, educação, cultura, saúde e gestão territorial.

É preciso pensar diferente e mudar o país. Essa mudança começa agora!

O autor assina este texto na qualidade de Candidato à Assembleia de Freguesia de Alcabideche pela Iniciativa Liberal

Recomendadas

Mudar o futuro coletivo

Os professores devem assumir um papel ativo nas novas abordagens pedagógicas. Só desta forma será possível responder às questões de fundo do século XXI.

O Orçamento do Estado para 2023 e as empresas

A proposta de Orçamento do Estado para 2023 vai ser conhecida no próximo mês e os temas relacionados com as empresas prometem ser um dos pontos fortes do documento, a começar por uma eventual descida do IRC.

Precisamos de notícias positivas

Os gestores têm de pensar se querem mais dívida dentro das empresas quando se espera uma redução da atividade económica no próximo ano
Comentários