A evolução do comércio internacional online

O GTIN – Global Trade Item Number é um identificador de produtos comerciais desenvolvido e controlado pela GS1 para qualquer item pedido ou faturado, em qualquer ponto da cadeia de fornecimento. Este processo permite fazer o ”tracking” desde as matérias-primas até ao produto final, sendo a principal linguagem do fluxo comercial. A recente atualização do […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O GTIN – Global Trade Item Number é um identificador de produtos comerciais desenvolvido e controlado pela GS1 para qualquer item pedido ou faturado, em qualquer ponto da cadeia de fornecimento. Este processo permite fazer o ”tracking” desde as matérias-primas até ao produto final, sendo a principal linguagem do fluxo comercial.

A recente atualização do Google Shopping Products Feed Specification, indica a exigência da inclusão do Global Trade Item Number (GTIN) em qualquer produto à venda no Google Shopping. Quer isto dizer que a partir de agora, nenhum produto sem GTIN e marca associada é validado e colocado nos “feeds” da Google Shopping – pelo menos em países como os EUA, Reino Unido, Suíça, Holanda, Japão, Itália, Alemanha, França, República Checa, Brasil e Austrália. No entanto, a tendência é que o número de países cresça, lado a lado com regulamentação do comércio a nível global.

Esta medida é mais um sólido passo na utilização global do GTIN, uma vez que fortalece a capacidade de identificação de um produto a nível internacional, promovendo ainda mais o seu controlo e autenticidade. Assim, com o aumento dos requisitos exigidos para disponibilização de artigos em catálogo online, o maior beneficiado será mesmo o consumidor final, tendo em conta que é cada vez maior a compilação de dados fiáveis sobre os produtos à venda.

Rob Rekrutiak, Product Manager do Google Shopping, referiu recentemente, por exemplo, que esta evolução do setor “aumenta a probabilidade de cliques em 40%”, algo que demonstra bem o potencial desta medida.

Para já ainda não se sabe quando é que Portugal fará parte da lista de países do Google Shopping Products Feed Specification, mas uma coisa é certa: a evolução do comércio internacional online passará muito pela adesão às boas práticas do setor, no que toca à regulamentação do mesmo.

Miguel Zegre
Chief Marketing Officer da Saphety

Recomendadas

Desistência ou insistência nacionais?

A distribuição de poder dentro do espaço que delimita um país tem sido central no estudo da organização humana e política do Homem.

Foco na capitalização das empresas ultrapassa o domínio fiscal

Apesar das medidas de incentivo à capitalização das empresas irem no caminho certo, os desafios só poderão ser superados através do uso de instrumentos mais “interventivos”, os quais por sua vez exigem mudanças da mentalidade empresarial em geral.

CSRD: mais siglas, mais regulação, mais sustentabilidade. Vamos passar à ação!

Uma das novidades é a consagração da verificação da informação por terceiros. Com o objetivo de evitar o ‘greenwashing’ e garantir que as organizações divulgam informações verdadeiras.