“A força da juventude”. Revista “Time” elege Greta Thunberg como Personalidade do Ano

A ativista sueca Greta Thunberg, de 16 anos, foi eleita personalidade do ano de 2019 pela revista Time. A adolescente deu início a um movimento internacional de estudantes que pede medidas concretas para combater as alterações climáticas.

REUTERS/Vincent Kessler

A revista norte-americana “Time” elegeu, esta terça-feira, a personalidade que mais impacto teve este ano. A tradição, que já dura a 92 anos, atribuiu o título à jovem ativista sueca, de 16 anos, Greta Thunberg.

Na capa da mais recente edição da revista lê-se: “Greta Thunberg: A força da juventude” e no editorial publicando no site da revista é explicado a influência que esta jovem teve sobre o movimento globla ecológico.

“Thunberg começou um movimento global faltando à escola: a partir de agosto de 2018, ela passou on seus dias acampados em frente ao Parlamento sueco, segurando uma placa pintada em letras pretas sobre um fundo branco que dizia Skolstrejk för klimatet: “Greve escolar pelo clima”, conta a revista Time. “Nos 16 meses seguintes, ela dirigiu-se a chefes de estado na ONU, reuniu-se com o Papa, discutiu com o Presidente dos Estados Unidos e inspirou 4 milhões de pessoas a unirem-se à greve climática global a 20 de setembro de 2019, a maior demonstração climática da história da humanidade”.

A lista de candidatos  deste ano ficou reduzida a cinco: Nancy Pelosi (líder da Câmara dos Representantes do Congresso dos Estados Unidos), Donald Trump (Presidente norte-americano), o denunciante anónimo que está na origem do processo de “impeachment” a Trump, a jovem ativista sueca Greta Thunberg e os manifestantes de Hong Kong.

 

Relacionadas

COP25: Greta Thunberg acusa países de procurarem subterfúgios para poluir

A ativista pelo clima sueca Greta Thunberg criticou esta quarta-feira o progresso dos trabalhos na cimeira do clima da ONU, acusando os países de procurarem subterfúgios para poderem continuar a poluir.

Infografia | Greta Thunberg viajou mais de cinco mil quilómetros até Lisboa

Muito se tem falado da rapariga que tem afrontado os líderes mundiais com o tema das alterações climáticas. Conta com 36 dias a navegar no mar: 15 dias entre o Reino Unido e Nova Iorque e outros 21 entre os EUA e Lisboa. Apesar de ter poupado emissões poluentes nas suas viagens marítimas entre os continentes norte-americano e europeu, só facto de Nikki Henderson, marinheira profissional, ter ido ao encontro da ativista quando esta chegou aos EUA de avião, significa que a viagem de Greta Thunberg deixou uma pegada carbónica maior que o planeado.

PremiumGreta Thunberg: A polémica menina do clima que o mar trouxe a Lisboa

O maior rosto do ativismo pela ação climática urgente tem feito cara feia aos líderes mundiais. Agora atravessou o Atlântico de barco para chegar a Madrid, onde participou na COP25 e na marcha estudantil pelo clima.
Recomendadas

BNA levanta suspensão da participação no mercado cambial imposta ao Finibanco Angola

O Finibanco Angola tinha sido suspenso de participar no mercado cambial, por um período de 45 dias, pelo Banco Nacional de Angola (BNA), depois de o supervisor bancário angolano detectar incumprimentos durante uma inspecção pontual, em meados de agosto.

“Café com o CEO”. Assista à conversa com o Dr. Luís Teles, em direto a partir de Luanda

“Café com o CEO” é uma iniciativa promovida pela empresa angolana E.J.M, fundada por Edivaldo Machado em 2012, que procura dar a conhecer os líderes que estão a dar cartas em Angola e outros países da Lusofonia. Assista à sessão em direto de Luanda, capital angolana.

Rogério Carapuça: “Há que estar entre os primeiros, não ser o primeiro dos últimos”

O presidente da APDC considera que o desenvolvimento do sector das TIC se dá a um ritmo saudável apesar dos obstáculos concretos que ainda impedem o país de estar entre os melhores classificados. A capacitação e qualificação das pessoas e das empresas são desafios no topo da agenda, mas a simplificação é palavra de ordem para abandonar o paradigma da burocracia que assombra os serviços públicos, alerta Rogério Carapuça.
Comentários