A importância da fidelização do cliente digital no setor segurador

O setor segurador atravessa atualmente uma fase de profundas alterações estruturais. Semanalmente, partilhamos a análise dos vetores de mudança com forte envolvimento tecnológico. Leandro Fernandes, CEO da Lluni software, explica de forma clara a informação necessária aos intervenientes deste setor.

Ao contrário do que se possa pensar, o cliente de hoje, com forte valorização de serviços digitais, também pode (e deve) ser fidelizado. Talvez até mais do que o cliente tradicional.

É certo que o cliente digital é mais sensível ao preço, mais formado, informado e com maior literacia. Mas na verdade, são estes mesmo fatores que lhe conferem o potencial de fidelização. Para isso, o mediador tem de se adaptar a esta exigência e fornecer um serviço de excelência, online, com informação detalhada e através de canais digitais.

Neste contexto, torna-se vital a implementação de soluções digitais em diversas áreas do negócio da mediação:

  • Simulação Online: O cliente digital quer saber o preço no momento, perceber as condições, as vantagens de determinado produto em detrimento de outro, analisar a relação custo benefício, e pasme-se… quer saber isto tudo sem falar com ninguém!
  • Contratação Imediata: Se decidir, quer comprar e pagar já! Torna-se imperativo disponibilizar serviços de adesão e pagamento online bem como geração e envio da respetiva documentação;
  • Serviço de Atendimento Permanente: a qualquer hora, em qualquer lugar. Implementar tecnologia de atendimento digital, em linguagem natural e sobre vários serviços é um fator vital para a fidelização;
  • Acesso Omnicanal. Servir os clientes através dos diversos canais existentes, sejam eles digitais ou presenciais. Em todos os casos, tem de existir o mesmo nível de serviço e informação
  • Credibilidade da Marca: Apesar de reduzirem ao mínimo imprescindível o contacto presencial, não significa que o cliente digital não se conecte à marca, que crie afinidade com ela e a valorize. É necessário fazer os investimentos certos em marketing, garantir uma forte e inovadora presença digital no mercado e nunca, de maneira alguma, quebrar a expetativa no serviço.

Os clientes de hoje vivem com esta expetativa de serviço e a fidelização dependerá do sucesso da sua implementação.

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com a Lluni.

 

Recomendadas

“Sector do turismo nunca terá uma recessão”, defende vice-presidente do BCP

O economista Augusto Mateus lembrou também que os Governos europeus financiaram quase toda a despesa pública relacionada com a crise pandémicas com a “criação monetária”. Já Jorge Rebelo de Almeida, presidente da Vila Galé, trouxe para o debate a necessidade de se promover a fusão das PME, para ganharem escala e massa crítica. Tudo na VI Cimeira do Turismo.

Comparadora de seguros HelloSafe recebe mais quatro milhões para expandir em Portugal

“Este financiamento irá apoiar a nossa ambição de nos tornarmos a plataforma internacional número um em Portugal para comparar produtos financeiros e de seguros”, diz Oleksiy Lysogub, cofundador da empresa canadiana. ‘Insurtech’ vai contratar 40 pessoas.

Costa Silva: Próximos anos não vão ser “cor-de-rosa” para a economia portuguesa

António Costa Silva, ministro da Economia, afirma que “não é com receitas do passado que vamos resolver os problemas”, defendendo que “para resolver os problemas de curto prazo, precisamos de uma visão de longo prazo”.
Comentários