“A importância das PME conhecerem os mercados”

As PME portuguesas e os nossos empresários já sabem que vivemos num mercado global, cada vez mais competitivo, mais concorrencial e mais aberto.

Outra realidade que também conhecem é que para as empresas crescerem não lhes basta o mercado interno e por isso podem e devem apostar em novos mercados. A identificação das dificuldades e oportunidades e analisar de que forma as PME devem apostar em novos mercados para crescerem e continuarem a ser fundamentais para o crescimento de um país, é tão importante em Portugal, como em Espanha, Itália ou outro qualquer país. Internacionalizar ou Exportar? Esta é uma das perguntas que muitos empresários fazem quando estão em processo de decisão de abrirem novos mercados às empresas. E a diferença entre as duas é muito grande, mas existe algo que as une, que é o conhecimento do mercado. E este fator é decisivo para a escolha do processo que a empresa vai fazer. Internacionalizar uma PME tem de imediato um pormenor importante, que é o investimento. Uma PME para se internacionalizar tem que investir dinheiro, tempo, recursos variados, até ao momento em que o break even seja uma realidade. Pode demorar 6 meses (casos raríssimos) mas também pode demorar 6 anos. Porque estamos a falar de um esforço que vai fazer com que a PME tenha uma presença num país que não é o seu de origem e que apenas um enorme conhecimento do mercado a ajudará a vencer. Exportar um produto já requer da PME um esforço diferente. O Investimento na capacidade produtiva, na capacidade comercial, na escolha de parceiros, custos logísticos e na resiliência na gestão da empresa. Aqui novamente o conhecimento do mercado é fundamental. Podemos olhar para a escolha de onde vamos internacionalizar apenas por questões económicas, ou seja, onde vou investir menos dinheiro e ter o maior retorno? Ou ainda, em que países o seguro de crédito (fundamental para as PME Exportadoras) é mais barato e onde a PME tem a maior a segurança que será paga em caso de não pagamento? Estas questões estão sempre em cima da mesa, mas num mercado global e competitivo, onde todas as PME competem em igualdade, a PME deve antes de decidir, estudar a fundo as várias possibilidades que tem em cima da mesa. Dou um exemplo, uma PME produz pregos, será que devo internacionalizar ou exportar para o país que mais consome pregos no mundo? Ou devo ir para o país que mais oportunidades de crescimento vai ter no futuro neste setor? Ou devo ir para onde estão as grandes empresas consumidoras do meu produto? Em todos os casos, e antes da decisão, investir no estudo do mercado para onde a PME está a olhar é meio caminho para o sucesso, seja de internacionalização, seja de exportação.

Se tem interesse em receber comunicação da EY Portugal (Convites, Newsletters, Estudos, etc), por favor Clique aqui

Recomendadas

A adoção de cloud nas organizações

A adoção de cloud é vital para a transformação digital, adotando tecnologias disruptivas e otimizando as organizações.

O arquivo eletrónico e a desmaterialização de faturas e documentos

Os requisitos técnicos e legais referentes à desmaterialização de faturas e demais documentos fiscalmente relevantes, e de constituição do arquivo eletrónico, foram definidos com a publicação do Decreto-Lei n.º 28/2019, de 15 de fevereiro.

Reinventar o SNS

Colocam-se ao SNS desafios associados ao envelhecimento populacional, à maior prevalência de doenças crónicas, ao maior consumo de cuidados de saúde e à maior exigência dos utentes.
Comentários