Premium“A pandemia foi o catalisador, não o gatilho da explosão das vendas online”

No âmbito das Luxury Shopping Talks, entrevistámos um dos maiores especialistas e opinion leaders em luxo, Tomas Mostany. O senior vice president strategy e chief product da Global Blue falou-nos sobre o Metaverso e a crescente importância dos dados. Apontou ainda a cada vez maior necessidade de atrair clientes com serviço de exceção e experiências no mercado de luxo, com a personalização e o storytelling a serem determinantes para as marcas crescerem de forma sustentável.

De acordo com os últimos dados da Global Blue, líder mundial na gestão de operações Tax Free, Portugal liderou a recuperação do Turismo de Compras na Europa no terceiro trimestre deste ano, atingindo 135%, substancialmente acima de países como a França (121%), a Espanha (95%) e Alemanha (61%).

Os bons resultados foram impulsionados pelas compras de turistas dos Estados Unidos (333%) cujo ticket médio foi de 930€, seguido do Canadá (237%) e Brasil (154%). Os dados foram apresentados durante as Luxury Shopping Talks, a 2ª Conferência da Global Blue dedicada à Experiência de Luxo dos consumidores.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Premium“O desenho pode ser um ponto de partida para começar uma coleção”

“Os portugueses conhecem os seus artistas, respeitam-nos e valorizam-nos”. Palavra de curadora, que é também diretora da única feira dedicada ao desenho em Portugal. Mónica Álvarez Careaga fala ao JE na identidade muito própria da Drawing Room Lisboa e da sua crescente “portugalidade”, que considera ser o reconhecimento de “várias gerações de excelentes artistas” portugueses.

PremiumSom harmonioso

Desenvolvido em segredo, o Co-Axial Master Chronometer Calibre 1932 é o primeiro movimento de relojoaria do mundo a fundir as funções de cronógrafo e de repetidor de minutos, necessitando do seu próprio “cérebro” mecânico para fazer soar o tempo decorrido.

PremiumSobre a necessidade de reinvenção de um continente no século XXI

Uma reportagem recente de um consórcio nacional de jornalistas trouxe para a luz do dia a existência de um número verdadeiramente assustador de elementos das forças de segurança portuguesas que não honram a farda, semeando o ódio, incentivando à violência e demonstrando um feroz racismo, quer contra cidadãos de etnia cigana, quer contra negros.
Comentários