Crédito para férias? Estes são os cuidados a ter

O ideal é poupar o máximo para conseguir pagar as despesas a pronto ou reduzir o mais possível o montante do empréstimo.

Indonesia – Bali

Com as férias à porta muitos são os consumidores que caem na tentação de contrair um crédito pessoal para esse efeito, sendo que muitos deles já têm os seus orçamentos limitados.

Mas contrair um crédito para viajar nunca é uma boa opção, pois o recurso ao crédito não pode ser visto como uma simples vantagem. Não podemos esquecer que adquirir um crédito é também contrair uma dívida que terá que ser paga.

O ideal é poupar o máximo para conseguir pagar as despesas a pronto ou reduzir o mais possível o montante do empréstimo. Se, mesmo assim, não conseguir reunir dinheiro para a viagem e pretender recorrer ao crédito, escolha bem a modalidade de financiamento e prefira as modalidades de pagamento mais baratas.

Deve procurar ajustar a prestação à sua capacidade financeira, escolhendo um prazo mais curto, por forma a pagar menos juros. Ao alargar o prazo, poderá reduzir a mensalidade, no entanto, no final irá pagar mais juros.

Na hora de escolher o crédito, um dos valores a ter em consideração é o da TAEG.

A TAEG representa todos os encargos com o financiamento, pelo que quanto mais baixa menor o valor a pagar pelo empréstimo.

Convém ainda informar-se sobre todos os encargos associados ao crédito: comissões, seguros, penalizações por reembolso antecipado, etc., para poder comparar várias ofertas.

A DECO aconselha o consumidor a que assuma uma atitude cautelosa e tente equilibrar as suas finanças, pois ao pedir um novo empréstimo estará a sobrecarregar o seu orçamento familiar.

Recomendadas

Vai de férias? 20 dicas para se proteger a si e à sua casa

Portugal está entre os países mais seguros do mundo, mas o número de furtos aumentou no ano passado, em relação ao ano anterior. Com a chegada do verão, grande parte da população vai para férias e nunca é demais precaver-se contra eventuais furtos.

DECO questiona porque Espanha reduz IVA para 5% e Portugal não

“O pagamento da fatura de eletricidade e gás tem um peso considerável no orçamento das famílias portuguesas, pelo que consideramos que a redução do IVA é uma medida adequada, necessária e urgente”, escreve a DECO.

Dez dicas para poupar em tempo de férias

Com a ajuda da ‘Selectra’, ajudamos a planear o seu orçamento para que consiga aproveitar o melhor desta estação sem ter de gastar muito dinheiro, recorrendo a dez dicas que vão desde a utilização do esquentador à forma como deixa os seus aparelhos eletrónicos antes de ir de férias.
Comentários