A reabilitação urbana de escritórios que reabilita empresas

A crescente falta de espaços para escritórios no centro de Lisboa, tem vindo a despoletar nos últimos anos a procura de soluções alternativas em zonas anteriormente não consideradas. Maioritariamente, zonas de armazéns que outrora foram empresas das mais diversas áreas de atividade e cujo estado de degradação não é claramente atrativo à primeira vista. Mas devemos dar-lhes uma segunda oportunidade.

Se por um lado a reabilitação de um edifício nos transporta automaticamente para um hipotético rol de problemas em que não queremos pensar, mas que têm solução, por outro traz consigo inúmeras vantagens que vale a pena considerar. Falamos do espaço em si e da sua organização, falamos dos colaboradores e do que os motiva e, inevitavelmente, falamos dos claros benefícios para a cidade.

Não há qualquer dúvida, um edifício reabilitado tem outro encanto. Desde o traço único da fachada aos pormenores interiores, sem esquecer um pé direito inimaginável nos dias de hoje, um edifício antigo transmite outro charme e glamour. Há um peso institucional que salta à vista num edifício deste tipo, uma alma que não existe num escritório moderno.

Dependendo do estado de deterioração do edifício, acontece ter de demolir todo o seu interior e manter apenas as fachadas. Parece-lhe um problema? Pense na oportunidade única para definir uma workplace strategy de raiz, sem contingências. Olhe para o negócio, para o tipo de relações e colaboração que quer fomentar entre os seus colaboradores. Quer um espaço colaborativo que provoque o encontro e a troca de ideias de forma informal? Necessita de Huddle rooms para pequenas reuniões e videoconferências com trabalhadores remotos? É incrível o que um bom planeamento e uma estratégia de workplace bem definida podem influenciar o dia-a-dia dos colaboradores e a saúde da sua empresa.

É também importante referir que o conceito do espaço não fica condicionado num edifício reabilitado. O conceito nasce de uma metodologia sustentada na análise da cultura, visão, valores, marca, forma de interação humana, objetivos de desempenho e metas financeiras, que se refletem na criação de espaços com o seu próprio “ADN”, em qualquer tipo de edifício. Na OPENBOOK Architecture chamamos-lhe Brandchitecture.

 

Um caso de sucesso: A sede da VdA – Vieira de Almeida & Associados

Localizado na zona ribeirinha de Lisboa, o novo escritório da VdA é o resultado de uma profunda reabilitação de uma antiga fundição do século XIX. A premissa da proposta era preservar a memória e o caráter do complexo, adaptando-o à sua nova utilização e propósito.

Recomendadas

Merlin Properties compra sede do Novobanco na Avenida da Liberdade por 112 milhões

A informação do comprador foi confirmada pela entidade bancária esta sexta-feira em comunicado, depois de já ter avançado com o valor do negócio nas últimas semanas.

Valor da renda média desceu 15,4% em setembro. Primeira quebra desde janeiro

Valor baixou dos 1.412 euros para os 1.194 euros. No entanto, e face ao mesmo mês de 2021, o valor das rendas apresentou um aumento de 18,7%.

Portugueses compraram mais de metade dos apartamentos de projeto no Parque das Nações

Com um investimento de 30 milhões de euros, o ‘O’Living’ conta com 86 apartamentos, sendo que 44 já foram vendidos na sua maioria a famílias portuguesas.
Comentários