“A Serie A está bem mas falta um elemento fundamental: o público”, destaca o presidente da Federação italiana

Entrevistado pelo “Il Messaggero”, e citado pelo espanhol “Palco23”, o responsável máximo desta Federação mostra esperança perante a possibilidade de que os adeptos possam voltar aos recintos desportivos de forma gradual com a chegada do novo ano.

O presidente da Federação Italiana de Futebol, Gabriele Gravina, acredita que o público vai regressar aos estádios da Serie A assim que possível e que esse retorno será um balão de oxigénio para as economias dos clubes.

Entrevistado pelo “Il Messaggero”, e citado pelo espanhol “Palco23”, o responsável máximo desta Federação mostra esperança perante a possibilidade de que os adeptos possam voltar aos recintos desportivos de forma gradual com a chegada do novo ano.

“Tudo tem sido muito complicado, o Covid-19 obrigou-nos a rever as prioridades. No entanto, o apoio da Federação revelou-se determinante para a continuidade da atividade”, explicou Gravina em entrevista.

“A liga está a correr muito bem, mas falta um elemento fundamental, o público, e esse vê-se e escuta-se. Espero que a partir de janeiro o futebol comece a reencontrar-se novamente com os seus adeptos. Daremos as boas vindas com satisfação e como mostra de serenidade depois de momentos tão difíceis”, acrescenta o dirigente desportivo.

“Espero que a partir de janeiro o futebol comece a reencontrar-se”, disse Gravina

Recomendadas

“Criou-se um clima de ódio no futebol português por parte de alguns dirigentes”, defende CEO da SIGA

Emanuel Macedo de Medeiros, o português que lidera a Sport Integrity Global Alliance (uma coligação de integridade e boa governança no desporto, com mais de 100 parceiros internacionais) foi o convidado da última da edição do programa “Jogo Económico”, da plataforma multimédia JE TV, e abordou a génese dos problemas que se eternizam no futebol em Portugal e apontou caminhos.

PremiumGoverno quer criminalizar apoios ilegais a claques

Entre as medidas para combater a violência no desporto, o Executivo pondera ainda passar a considerar o crime de dano como crime público, agravar coimas e o reforço da figura de gestor de segurança.

Recordes em Inglaterra. Clubes gastaram mais de dois mil milhões no verão

O Chelsea foi o clube que mais gastou no último mercado de transferências, mas o jogador mais caro defende agora as cores do Manchester United.
Comentários