Abandono e maus-tratos sempre a aumentar desde 2019

Os dados provisórios de denúncias recebidas pela PSP em 2022 ficam próximos dos de 2019, ano de referência por ser pré-pandemia. Há uma subida notória do abandono de animais de companhia desde Abril último, quando se começaram a sentir os efeitos do aumento dos preços e a crise gerada pela guerra na Ucrânia.

Há uma tendência de subida no abandono e nos maus-tratos a animais, como demonstram os dados da PSP a que o NOVO teve acesso. Os números provisórios, relativos a 2022, de abandono de animais indicam que foram feitas 303 denúncias, um indicador que supera os de 2020 e 2021 – 282 e 278, respetivamente -, anos marcados pela pandemia de covid-19, algo que também teve influência.

De forma a compreender melhor como a realidade do abandono de animais em Portugal é sentida no terreno, o NOVO falou com uma associação que acolhe animais de companhia abandonados, que receia que 2023 pode ser um ano pior em termos de abandonos.

Inês Sousa Real, porta-voz do PAN, frisa que campanha de esterilização é ponto de partida para combater este flagelo e refere que “ainda há um longo caminho para se fazer em matéria de proteção animal”.

Leia o artigo na íntegra na edição impressa do NOVO deste sábado, 21 de Janeiro.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

ACT. Acidentes de trabalho causaram a morte de 124 trabalhadores em 2022

Em 2023 e até 1 de fevereiro, foram já registados três acidentes com vítimas mortais nas instalações das empresas nos distritos de Aveiro, Beja e Braga.

PremiumLeia aqui o Jornal Económico desta semana

Esta sexta-feira está nas bancas de todo o país a edição semanal do Jornal Económico. Leia tudo na plataforma JE Leitor. Aproveite as nossas ofertas para assinar o JE e apoie o jornalismo independente.
Comentários