Abertura em queda de Wall Street penaliza bolsas europeias

Abertura tímida em Wall Street acabou por influenciar fecho das bolsas europeias. Lisboa não escapou à maré negativa.

Cristina Bernardo

O principal índice bolsista português PSI 20 encerrou a negociação do primeiro dia da semana a desvalorizar 0,62% pontos para 5.237 pontos seguindo a tendência das suas congéneres europeias que fecharam a sessão a negociar em terreno negativo.

A fazer tombar o PSI 20 estiveram entre as principais cotadas portuguesas os CTT, que caiu 1,44%, para 3,15 euros, a Mota-Engil, que desceu 1,32%, para 1,87 euros e a NOS, que depreciou 1,63%, para 4,81 euros.

Em terreno negativo encontram-se também a EDP que desceu 1,18%, para 3,85 euros, a Jerónimo Martins que desvaloriza 1,03, para 14,89 euros e a Sonae SGPS que cai 0,98%, para 0,90 euros

Das cotadas nacionais a negociarem no ‘verde’ no fecho da sessão estiveram a Ibersol, que sobe 1,25%, para 8,10 euros, a Pharol, que cresce 1,00%, para 0,10 euros e o BCP, que valoriza 0,65%, para 0,20 euros.

Na Europa as cotadas fecharam a sessão a negociarem no ‘vermelho’, tendo o setor bancário registado uma overperformance relativa. Na Alemanha, o DAX desceu 1,58%, no Reino Unido, o FTSE 100 caiu 0,79%, o francês CAC 40 desvalorizou 0,91%, o holandês AEX caiu 0,85%. Em Espanha, o IBEX35 desvalorizou 0,88% e o italiano FTSE MIB desceu 1,06%.

A cotação do barril de Brent desvalorizou 0,30%, com valor de 66,67 dólares, enquanto a cotação do crude WTI desceu 0,10%, para 61,66 dólares por barril.

No mercado cambial o euro valorizou 0,34%, para 1,12 dólares.

Recomendadas

Wall Street regressa aos ganhos a meio da semana

A Apple destacou-se esta quarta-feira por afundar mais de 4%, na sequência de a gigante liderada por Tim Cook ter posto na gaveta o seu plano para aumentar a produção dos seus novos iPhones, mas as ações acabaram por encerrar a sessão com uma perda de pouco mais de 1%.

BCP cai 5% e arrasta bolsa de Lisboa para terreno negativo numa Europa mista

“O índice nacional esteve pressionado pela queda de 5% do BCP, numa sessão onde o setor Bancário demonstrou a pior performance na Europa”, escreveu o analista do Millennium BCP, Ramiro Loureiro, na sua análise de fecho de mercados.

CMVM publica cinco decisões de contraordenação, incluindo a coima de 75 mil euros à Orey Antunes

Na base das decisões da CMVM estão três processos por violação de deveres de atuação dos auditores. O processo contra a Orey Antunes por não ter divulgado os documentos de prestação de contas anuais e um processo por violação de deveres dos intermediários financeiros.
Comentários