Abrir caminho para novos negócios na arquitetura e no design

A designer e empreendedora Joana Beirão vai lançar, no fim do mês, um curso de formação para empreendedores. O objetivo é capacitar os seus pares que, não tendo conhecimentos de gestão, optam por criar o próprio negócio.   Dificilmente o convite poderia ser mais apelativo. Uma designer e empreendedora experiente, que já saboreou o sucesso […]

A designer e empreendedora Joana Beirão vai lançar, no fim do mês, um curso de formação para empreendedores. O objetivo é capacitar os seus pares que, não tendo conhecimentos de gestão, optam por criar o próprio negócio.

 

Dificilmente o convite poderia ser mais apelativo. Uma designer e empreendedora experiente, que já saboreou o sucesso e sentiu o amargo do falhanço, quer ajudar outros a não cometerem erros que antes cometeu. Joana Beirão, 50 anos, tem formação base em Arquitetura de Interiores e Mobiliário e é empreendedora por natureza: inconformista e apostada em ajudar os outros e em contribuir para a transformação social.
Ao longo de duas décadas, Joana Beirão protagonizou várias iniciativas com visão na “democratização dos serviços de decoração”. Foi ela que lançou o primeiro ateliê de decoração e arquitetura de interiores online em Portugal, pioneiro no conceito de consulta e serviços “low cost”, corria o ano de 2007. Mais tarde, em 2011, lançou a BoxDecor, uma academia que perseguia o sonho de que todas as casas pudessem ser decoradas com a ajuda de profissionais criativos à medida e necessidades de cada espaço e de cada carteira. O primeiro projeto correu bem. O segundo não. Além de expertise em design de interiores, Joana Beirão sabe, pois, do que fala quando o assunto são os negócios.
Neste pequeno curso que nos propõe na Fábrica de Startups (edifício Startup Campus Powered by Banif), em Lisboa, com a duração de dois dias, agendado para arrancar a 31 de janeiro, num total de 16 horas e com o simbólico preço de 10 euros, subordinado ao tema “Da ideia ao protótipo by Wedecorit”, Joana Beirão vai usar a Tela de Modelo de Negócio, uma ferramenta de apoio utilizada no crescimento de todas as startups, que permite desenhar qualquer novo negócio em três tempos.
Numa altura em que as inscrições ainda estão a decorrer, Joana Beirão lançou um questionário/ sondagem que deve servir como base de trabalho para o workshop, cujos patrocínios está também, neste momento, a negociar. “Se tem alguma ideia para uma nova empresa e pretende saber como os empreendedores levam a sua avante ou simplesmente quer renovar a avaliação da sua ideia com a ajuda de entendidos, junte–se a uma vasta equipa disponível para criar novas coisas portuguesas” – acena.
Joana Beirão e a equipa de mentores e parceiros que a acompanham, entre os quais o também designer e fundador do Cowork Lisboa Fernando Mendes, propõem-se “capacitar especificamente arquitetos e designers que optam por criar o seu próprio negócio, mas também pessoas que gerem obras, manutenções e até linhas de produção. “Acreditamos que, criando novas iniciativas que aproximem a proposta de valor destes profissionais junto de segmentos de clientes interessados, de acordo com as lógicas de consumo e vida de hoje, vamos, de certeza, abrir, em Portugal e no estrangeiro, novos caminhos para novos negócios deste núcleo de mercado inserido nas agora chamadas industrias criativas”, salienta.
Joana Beirão explicou ao OJE que “em tempo algum do seu percurso académico ou profissional”, arquitetos e gestores têm acesso a formações dedicadas à gestão dos seus negócios. Só muito recentemente a gestão das indústrias criativas é tema “ e os alinhamentos académicos ainda não se encadeiam no tema”. Também é verdade, acrescenta, que o associativismo pouco tem feito pela sustentabilidade deste mercado. Por tudo isto (este é um dos aspetos diferenciadores do projeto), este workshop “tem a audácia e a ousadia de propor formar grupos de pessoas especialistas em áreas de todas as disciplinas e complementares, mas que, à partida, não se conhecem”.
Após este ponto de encontro, é todo um caminho que se abre na formação de equipas, que irão eleger novas ideias de negócio, dissecá-las e criar o primeiro protótipo ou proposta de valor por forma a prosseguirem com o seu teste e validação. Este workshop é o primeiro de outras iniciativas que se seguirão e que vestirão a forma de talks, workshops e formações igualmente audazes.

Ativar dinâmicas
sustentáveis
O mercado da decoração movimenta cerca de 145 000 milhões de euros no espaço europeu e, só em Portugal, existem mais de 25 000 profissionais capazes de satisfazer a criação de um bom ambiente em casa, escritório ou jardim e aptos a abraçarem novos desafios. Joana Beirão quer ativar dinâmicas empreendedoras que permitam que as pessoas consumam melhor. “Temos novas ideias para testar, formações alinhadas para apresentar e empresas disponíveis para construir parcerias. Por isso, está na hora de avançar novamente!”

 

Por Almerinda Romeira

Recomendadas

Euro valoriza e aproxima-se dos 1,08 dólares

O euro subiu hoje e aproximou-se do patamar de 1,08 dólares, após um aumento da tolerância ao risco nos mercados, depois de dias de tensão, graças às medidas de apoio ao sistema financeiro global.

“É algo novo a nível nacional”, diz presidente do IAPMEI sobre agendas mobilizadoras do PRR

Luís Filipe Guerreiro lamentou que “muitos velhos do Restelo” não tivessem acreditado na obrigação de ter as empresas a trabalhar com os centros tecnológicos por pouco mais de 900 mil euros, o valor que, primeiramente, estava associado a estes projetos cofinaciados por privados e pelo Plano de Recuperação e Resiliência. “Neste momento estamos no triplo”, frisou.

UE. Exportação de serviços de transporte rendeu 211,1 mil milhões de euros

Os Estados-membros da União Europeia registaram em 2021 um aumento de 14% face aos níveis pré-pandemia nas receitas com a venda de serviços de transporte a países externos. O transporte marítimo foi dominador, ao passo que o transporte aéreo foi o único que não recuperou, comparando com os dados de 2019.