Acesso a financiamento não preocupa PME europeias

O estudo do BCE também revela que as grandes empresas acedem a financiamento com maior facilidade e menores custos que as PME.

As pequenas e médias empresas (PME) da zona euro consideram que “encontrar clientes” representa o seu maior problema, enquanto o acesso a financiamento representa a menor das suas preocupações, segundo reflete a última edição do “Estudo de acesso a financiamento das empresas”, elaborada pelo Banco Central Europeu (BCE).

O estudo realizado pelo banco central entre 21 de setembro e 26 de outubro de 2015 (mediante consultas a 11.226 empresas europeias, das quais 91% contava com menos de 250 empregados), constata que as PME da zona euro “estão menos preocupadas sobre o seu acesso a financiamento que com outras questões relacionadas com a sua atividade”.

De facto, apenas 11% das PME inquiridas considerava o acesso a financiamento como o sua principal preocupação, o que situava esta questão como a menor dos seus problemas, atrás de fatores como a regulação (13%), custos de produção (14%), dispor de trabalhadores qualificados (17%) e encontrar clientes (25%).

Não obstante, o estudo do BCE reflete um incremento das necessidades de financiamento externo por parte das PME, ainda que a um menor ritmo que o semestre anterior. Em concreto, 1% das PME reportaram um aumento das suas necessidades de financiamento externo por empréstimos bancários, em comparação com 3% do estudo precedente.

Entre as principais economias da eurozona, as PME de Espanha, França e Itália expressaram uma maior necessidade de financiamento com recurso a empréstimos bancários, ainda que em menor quantidade que em edições anteriores, enquanto as PME alemãs indicaram uma menor necessidade.

OJE

Recomendadas

Emissão obrigacionista da Sonangol é “bem vinda” para a bolsa angolana

Segundo o responsável do Departamento de Desenvolvimento de Mercado da Bodiva, Nivaldo Matias, a iniciativa da Sonangol ainda não foi dada a conhecer formalmente à instituição, contudo, a decisão da petrolífera é “bem-vinda”.

Novabase suspende programa de recompra de ações

A tecnológica já tinha suspendido o programa em junho, tendo depois voltado a retomá-lo. Segundo informação publicada nessa altura, o programa estava previsto durar até 31 de dezembro de 2023.

Trabalhadores da Autoeuropa rejeitam pré-acordo laboral que previa aumento de 5,2%

Dos mais de cinco mil trabalhadores da fábrica de automóveis da Volkswagen, em Palmela, no distrito de Setúbal, só 3.865 exercerem o direito de voto, 2.007 dos quais votaram contra o pré-acordo e 1.826 a favor. Houve ainda 10 votos nulos e 22 brancos.