“Acho que é uma derrota pessoal”, diz Cotrim Figueiredo sobre rejeição para vice da AR

O líder da Iniciativa Liberal refere que a sua não eleição para o cargo dá mais força ao partido para defender aquilo em que acredita. “Um cargo institucional não contribui diretamente para o projeto da Iniciativa Liberal”, realça.

Lusa

João Cotrim Figueiredo reagiu esta quinta-feira, 31 de março, sobre a sua não eleição para vice-presidente da Assembleia da República. “Acho que é uma derrota pessoal. Achei que havia a possibilidade de não ser eleito. Sujeitamo-nos à vontade democrática da Assembleia da República”, assumiu o líder da Iniciativa Liberal, em declarações à imprensa.

João Cotrim Figueiredo alcançou 108 votos a favor, 110 em branco e seis nulos, quando precisava de 116 votos da AR para ser eleito. Questionado sobre a razão porque o partido não propôs o seu nome para uma nova votação, o líder da IL foi peremptório.

“Quem não tem confiança à primeira não tem à segunda. Estar ou não neste cargo, não representa um retrocesso. Dá-nos mais força para perceber que vamos ter uma Assembleia da República com partidos do centro. É uma decisão que parece agradar à maioria dos partidos políticos”, afirmou.

Cotrim Figueiredo salientou que a não é por não ter sido eleito para vice-presidente da AR que o partido vai deixar de lutar por aquilo em que acredita.

“Um cargo institucional não contribui diretamente para o projeto da Iniciativa Liberal. Desistência era desistir de combater na rua, na comunicação social e com os nossos militantes daquilo em que acreditamos. Deixar de defender aquilo em que acreditamos em nome de um cargo, isso é que era desistir”, sublinhou.

Relacionadas

Cotrim Figueiredo e Pacheco Amorim rejeitados como vice-presidentes da AR. Edite Estrela e Adão Silva eleitos

A primeira ronda das eleições para a vice-presidência da Assembleia da República terminou com dois nomes eleitos (PS, PSD) e os nomes de Chega e IL chumbados.
Recomendadas

Oceanos. Ministra da Coesão assegura prioridade de investimentos no mar

A ministra da Coesão Territorial assegurou este sábado que o Governo português tem o compromisso de “continuar a dar prioridade a investimentos no mar” e defendeu que os governos locais estão “numa posição chave” no processo de desenvolvimento sustentável.

PremiumAdesão da Ucrânia à UE “vai mudar tudo”, diz embaixadora

A embaixadora da Ucrânia em Portugal, Inna Ohnivets, diz que estão a ser feitas as reformas necessárias para uma adesão à UE em tempo recorde e classifica a assistência portuguesa como “exemplar”.

XVIII Congresso do CDS Madeira decorre hoje e domingo no Funchal

O XVIII Congresso do CDS-PP/Madeira decorre este sábado e domingo no Funchal, devendo Rui Barreto ser reeleito para a liderança do partido que integra a coligação que governa a região juntamente com o PSD.
Comentários