Acidentes nas estradas causaram 460 mortos nos primeiros 11 meses de 2018

Os acidentes rodoviários aumentaram nos primeiros 11 meses do ano e provocaram a morte a 460 pessoas, segundo o último relatório da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.

Os acidentes rodoviários aumentaram nos primeiros 11 meses do ano e provocaram a morte a 460 pessoas, segundo o último relatório da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

O documento, que abrange o período entre 01 de janeiro e 30 de novembro, regista 120.698 acidentes, mais do que no período homólogo do ano passado (118.290), 460 vítimas mortais (sem variação) e 1.905 feridos graves (menos 94).

Só na última semana de novembro morreram nas estradas portuguesas 14 pessoas e 40 ficaram gravemente feridas.

Nos primeiros 11 meses do ano, o distrito que mais acidentes registou foi o de Lisboa (24.090), seguido do Porto (21.897), Braga (10.243), Faro (9.890) e Aveiro (9.892).

Já o distrito onde se registaram mais vítimas mortais foi o de Setúbal (62), seguido do Porto (50), Lisboa (46), Faro (37) e Leiria (36).

Segundo o relatório da ANSR, que reúne dados da PSP e da GNR, Lisboa foi o distrito onde se registaram mais feridos graves (247), seguido de Santarém (191), Faro (186), Porto (170) e Setúbal (149).

Os dados da ANSR dizem respeito às vítimas cujo óbito foi declarado no local do acidente ou a caminho do hospital.

Relacionadas

Sinistralidade rodoviária tem impacto económico e social negativo de 1,2% do PIB

O secretário de Estado da Proteção Civil, José Artur Neves, afirmou este domingo que o impacto negativo, económico e social da sinistralidade rodoviária em Portugal é de 2,3 mil milhões de euros, equivalente a 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

Sinistralidade rodoviária voltou a aumentar. As causas da “guerra civil” e os planos na gaveta desde 2001

Mais acidentes e vítimas mortais nas estradas portuguesas, nos últimos dois anos, invertendo tendência de decréscimo desde 2010. “Os desastres rodoviários não são acidentais”, sublinha Manuel João Ramos, presidente da ACA-M. “Têm causas objetivas e responsabilidades averiguáveis”, desde logo ao nível das políticas públicas.

70% dos condutores que morreram alcoolizados tinham taxa que já é considerada crime

Um em cada quatro condutores que perderam a vida nas estradas tinha mais álcool no sangue do que o permitido pela lei. Sete em cada 10 tinham um nível que já é considerado crime.
Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.

Trabalhadores do Metropolitano de Lisboa fazem greve de 24 horas em 12 de outubro

“Vamos fazer uma greve no dia 12, de 24 horas”, indicou Anabela Carvalheira, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans).

Conselho de Ministros gastou um milhão em equipamento informático

Um mês depois de o NOVO ter noticiado que o Conselho de Ministros gastou um milhão em equipamento informático, a Polícia Judiciária entrou na sede da Presidência do Conselho de Ministros para fazer buscas. O alvo principal da operação é o próprio secretário-geral, David Xavier, suspeito de corrupção na aquisição de sistemas informáticos para o Estado.
Comentários