Açores: Tribunal de Contas acolhe primeiro Encontro de Jovens Auditores da CPLP

“O Auditor do Futuro” é o tema deste primeiro Encontro, organizado pela Secção Regional dos Açores, que traz a Ponta Delgada quase meia centena de jovens auditores com idades até aos 35 anos.

O Tribunal de Contas de Portugal vai acolher nos Açores o primeiro Encontro de Jovens Auditores da Organização dos Tribunais de Contas da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), de 10 a 12 de outubro.

“O Auditor do Futuro” é o tema deste primeiro Encontro, organizado pela Secção Regional dos Açores, que traz a Ponta Delgada quase meia centena de jovens auditores com idades até aos 35 anos.

Vêm de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e Portugal, para debater questões sobre a transformação digital, a qualificação técnica e os novos modelos de organização do trabalho e o seu impacto nas auditorias, entre outras matérias.

De acordo com o Presidente do Tribunal de Contas de Portugal, José Tavares, “o objetivo é contribuir para motivar os jovens auditores para a partilha de saberes e experiências, no contexto dos novos desafios que os Tribunais de Contas dos Países de Língua Portuguesa têm de enfrentar”.

Recomendadas

Madeira: IHM renova campo de jogos do Bairro da Nazaré num investimento de 65 mil euros

A reabilitação daquele espaço e a introdução de um campo destinado à prática do Madeirabol, deverá constituir mais um polo de atração e recreio para os moradores, mas também para a população em geral.

Saiba que erros evitar na gestão das finanças pessoais

Faça um Plano Financeiro. Defina objetivos a curto, médio e longo prazo, mas que consiga cumprir. Quantifique-os e defina prazos. Calcule pequenas metas a curto prazo para os atingir e mantenha-se focado nesses objetivos, sem ser demasiado ambicioso.

Parlamento da Madeira pede inclusão das regiões autónomas no grupo que vai elaborar o Plano Estratégico da Pequena Pesca

“Para nós é fundamental que as Regiões Autónomas estejam salvaguardadas com uma presença efetiva, por forma a que possamos salvaguardar as especificidades da pequena pesca nas ilhas, que é diferente da que acontece no território continental”, aclarou Nuno Maciel.
Comentários