Açores ultrapassam em junho incentivos à mobilidade elétrica atribuídos em 2021

Entre janeiro e junho de 2022, foi apoiada nos Açores a aquisição de 170 veículos elétricos (147 automóveis ligeiros e 23 velocípedes com motor) e 46 pontos de carregamento “num montante total superior a 423 mil euros”, revelou a direção regional da Energia, em comunicado de imprensa.

O Governo Regional dos Açores atribuiu incentivos para a aquisição de 170 veículos elétricos e 46 postos de carregamento no primeiro semestre de 2022, um número que supera os valores registados em 2021, revelou hoje o executivo.

Entre janeiro e junho de 2022, foi apoiada nos Açores a aquisição de 170 veículos elétricos (147 automóveis ligeiros e 23 velocípedes com motor) e 46 pontos de carregamento “num montante total superior a 423 mil euros”, revelou a direção regional da Energia, em comunicado de imprensa.

Estes números superam os valores totais de 2021, segundo o relatório de execução dos incentivos à mobilidade elétrica, disponível no Portal da Energia dos Açores, consultado pela Lusa.

No total, o executivo açoriano recebeu, em 2021, 130 candidaturas elegíveis (67 de São Miguel, 56 da Terceira, três do Pico, duas de Santa Maria, uma do Faial e uma da Graciosa), tendo atribuído cerca de 305 mil euros.

O incentivo permitiu a aquisição de “99 veículos ligeiros, 33 pontos de carregamento, 14 velocípedes com motor e um triciclo motorizado ou quadriciclo”.

Segundo o relatório, com a atribuição destes incentivos, “foram evitadas as emissões de pelo menos 149,8 toneladas de CO2 [dióxido de carbono]”, em 2021.

O sistema de incentivos financeiros à aquisição de veículos elétricos e de pontos de carregamento nos Açores foi alterado no início de 2021.

Os apoios podem chegar a 4.550 euros, caso se apliquem todas as majorações disponíveis, no caso da aquisição de veículos automóveis ligeiros, por parte de singulares.

A aquisição de pontos de carregamento de veículos elétricos pode ser comparticipada até 500 euros.

Segundo a diretora regional da Energia, Joana Rita, citada em comunicado de imprensa, o executivo açoriano “tem priorizado políticas que visam a redução da emissão de gases com efeito de estufa, diminuindo, em simultâneo, a dependência externa de combustíveis fósseis”.

Joana Rita, que participou numa sessão pública ‘online’ subordinada ao tema ‘Mobilidade Elétrica nos Açores — Ponto de Situação e Novos Desafios’, organizada pela Direção Regional da Energia, em parceria com a Agência para a Energia (ADENE), defendeu que as políticas públicas são “especialmente relevantes no contexto atual” do mundo.

O evento foi precedido de uma reunião de trabalho com diversas entidades regionais e nacionais, onde se debateu o ponto de situação da transição energética dos transportes públicos regionais.

Foi também abordado o projeto europeu EMOBICITY, cofinanciado pelo programa ‘Interreg Europe’, que a Direção Regional da Energia integra, com vista à melhoria das medidas regionais de apoio à mobilidade elétrica.

 

Recomendadas

Madeira: Número de acidentes de trabalho diminuiu 24,4% em 2020

O sector da “Construção” concentra o maior número de acidentes, com 24% do total, seguido do sector do “Comércio por grosso e a retalho, reparação de veículos automóveis e motociclos”, com 16,5%.

Câmara do Funchal promove atividades lúdicas para celebrar Dia Internacional da Juventude

As atividades estarão a decorrer próxima sexta-feira à tarde, das 15ho0 às 18h00, no Parque de Santa Catarina. 

IL denuncia falta de resposta da Câmara do Funchal para problema de ruído na Zona Velha

Nuno Morna frisa que há dois meses o partido pediu uma audiência a várias entidades, nomeadamente o Presidente da Câmara do Funchal, Inspeção das Atividades Económicas (ARAE), Comando Regional da PSP Madeira e Provedoria de Justiça, onde pretendia apresentar e clarificar questões sobre a situação do ruído da Zona Velha.
Comentários