Adesão da Finlândia e Suécia à NATO será “apoiada por Portugal”, diz Gomes Cravinho

O ministro dos Negócios Estrangeiros acredita que as candidaturas vão ser alvo de amplo consenso.

Portugal anunciou esta sexta-feira o seu apoio à Finlândia e Suécia relativamente à adesão à NATO através das declarações do ministro dos Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho, em Helsínquia.

“A candidatura da Finlândia e Suécia serão bem vindas e apoiadas por Portugal”, disse João Gomes Cravinho, acrescentando que certamente a candidatura será alvo de um amplo consenso pelos países da NATO.

Também nas redes sociais o Governo português divulgou uma publicação onde expressa o apoio da adesão à NATO por parte da Finlândia e Suécia. “Portugal saúda e apoia a candidatura da Finlândia à NATO. O ministro dos Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho transmitiu a posição portuguesa na reunião bilateral com o homólogo Pekka Haavisto em Helsínquia. Os ministros expressaram ainda solidariedade para com a Ucrânia e apoio à sua integridade territorial”, escreveu o executivo de Costa no Twitter.

Esta semana a Finlândia anunciou que ia avançar com candidatura à NATO. “A adesão à NATO fortaleceria a segurança da Finlândia. Enquanto membro da NATO, a Finlândia poderia fortalecer toda a sua linha de defesa. A Finlândia deve candidatar-se à NATO sem demoras. Esperemos que os passos a serem dados nacionalmente sejam dados nos próximos dias”, admitiram o presidente, Sauli Niinisto, e pela primeira-ministra, Sanna Marin.

Ao contrário de Portugal a Turquia já disse que não apoia a adesão da Finlândia e Suécia à NATO., Sobre esta rejeição, Gomes Cravinho acredita que a Turquia não vai constituir um problema na entrada destes países na NATO.

“A NATO é composto por diversos estados que tomam as suas decisões individuais. Mas a minha experiência diz-me que não haverá dificuldade relativamente à adesão da Finlândia e da Suécia”, assegurou o governante.

Recomendadas

CEO da Microsoft destaca plataforma para ajudar a Ucrânia criada por português

Satya Nadella diz que o “Ukraine Live Aid”, para prestar apoio aos refugiados ucranianos, foi um dos trabalhos “significativos” e “muito necessários” que feitos com as Power Pages da Microsoft.

Ocidente deve ser mais brando com a Rússia e a Ucrânia deve ceder, defende Kissinger

Segundo o ex-secretário de Estado dos EUA, os líderes europeus não devem perder de vista o relacionamento de longo prazo com a Rússia, nem devem arriscar empurrá-la para uma aliança permanente com a China. O antigo campeão de xadrez Garry Kasparov disse que essa posição, para além de imoral, foi provada errada repetidamente.

Mais de 200 corpos encontrados em cave de Mariupol

Informação foi avançada por Petro Andryushchenko, conselheiro do presidente da câmara de Mariupol.
Comentários