Adeus, vida sedentária e laticínios; olá, exercício, peixe e carne branca

Lembra-se da velha roda dos alimentos? Esqueça-a! Aliás, esqueça quase tudo o que aprendeu na escola primária acerca de alimentação e doses diárias recomendadas. A Escola de Saúde Pública de Harvard modernizou a pirâmide alimentar, segundo o conhecimento científico e nutricional mais recente. Vamos então conhecer melhor a Healthy Eating Pyramid (Pirâmide da Alimentação Saudável)! […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Lembra-se da velha roda dos alimentos? Esqueça-a! Aliás, esqueça quase tudo o que aprendeu na escola primária acerca de alimentação e doses diárias recomendadas. A Escola de Saúde Pública de Harvard modernizou a pirâmide alimentar, segundo o conhecimento científico e nutricional mais recente. Vamos então conhecer melhor a Healthy Eating Pyramid (Pirâmide da Alimentação Saudável)!

O novo modelo de Harvard apresenta como pilares para uma vida saudável o exercício físico e o controle do peso. De acordo com os investigadores, uma caminhada diária de 30 minutos basta para manter o corpo ativo. A regra é não ficar parado, e é importante estar dentro do peso ideal e evitar a gordura abdominal.

As frutas e legumes estão na base de uma alimentação saudável. Não só ajudam a manter o peso, como a reduzir a pressão arterial e o risco de doenças cardiovasculares, e até alguns tipos de cancro. É importante manter a variedade no prato, pois cada um oferece vitaminas e minerais diferentes. Metade do que come diariamente deve ser deste grupo. Os pesquisadores de Harvard dizem ainda que as batatas não são a melhor escolha, dado o alto índice glicémico.

Opte pelas fontes mais saudáveis de proteína! As proteínas não são todas iguais, e recomenda-se moderação na carne vermelha, carne processada e manteiga, cujo consumo tem sido associado ao risco de doenças cardíacas, diabetes e cancro do cólon. Escolha peixe, rico em Ómega 3, e carnes magras, como frango e peru. O Pescado é um alimento saboroso e extremamente saudável, dados os elevados índices de ómega 3 e ómega 6, de minerais e proteínas, aliados a baixos níveis de gorduras e calorias. A ingestão de ácidos gordos polinsaturados como os Ómega 3 e 6, faz bem à sua saúde, sobretudo ao nível do sistema circulatório e imunitário. O peixe congelado é outra opção para refeições económicas e saudáveis, pois tem os mesmos valores nutricionais, e está sempre pronto a preparar!

Pães, arroz e massas brancos, batatas, bebidas açucaradas e doces, bem como carnes vermelhas, são alimentos “com sinal vermelho”! Engordam e favorecem doenças cardiovasculares e diabetes. Os hidratos de carbono refinados criam picos de produção de insulina, levando o corpo a ter fome mais rapidamente. Sempre que possível devemos evitar alimentos desse grupo, substituindo por cereais integrais, verduras, frutas e legumes. Os hidratos de carbono integrais são fontes de energia e fibras e contêm nutrientes importantes, melhorando também o trânsito intestinal, e devem constituir ¼ da alimentação diária. As nozes, sementes e leguminosas também são uma grande aposta para a sua saúde!

Se na antiga roda dos alimentos todas as gorduras eram desaconselhadas, os pesquisadores de Harvard recomendam a ingestão de 60 g por dia de gorduras mono e polinsaturadas presentes nos óleos vegetais, como o azeite, mas sempre em cru para não deteriorar as gorduras.  Cuidado com o leite e derivados: apesar de serem fontes de cálcio, os laticínios podem conter uma grande quantidade de gordura saturada e sódio. Consuma-os com moderação, segundo os especialistas de Harvard, e vá buscar as substâncias que o leite fornece, como o cálcio, a outros alimentos!

Já sabe, a sua saúde começa no prato e no exercício! Conheça mais sobre a nova pirâmide alimentar, e descubra que o bem estra não fica assim tão caro. Para caminhar não precisa de pagar um ginásio, e os peixes ricos em Ómega 3, como a sardinha ou a cavala, ficam bem mais baratos que bifes!

Ana Paula Santos
Fileira do Pescado

 

Recomendadas

Trabalhar melhor não é o mesmo que trabalhar mais horas

Portugal é um dos países europeus onde se passa mais horas no emprego, mas continuamos na cauda da produtividade. Algo de errado se passa.

Não há problema nenhum

Manuel Pizarro é casado com a bastonária da Ordem dos Nutricionistas.

TERRA, dá-lhe as boas-vindas

A Trienal levanta várias questões sobre os recursos de que dispomos e o que fazemos com eles, através de quatro tópicos: Retroactivar, Ciclos, Multiplicidade e Visionárias.