Adiamento da votação do Brexit arrasta bolsas europeias

Na bolsa portuguesa o PSI 20 caiu 1% para 4.788,3 pontos, arrastado sobretudo pelas quedas das papeleiras e da Mota-Engil.

Daniel Munoz/Reuters

As praças europeias fecharam em terreno negativo com quedas significativas (entre 1% e 2%). Theresa May decidiu não levar o acordo para o Brexit amanhã ao Parlamento para votação, porque antevia o chumbo evitando assim uma crise política interna em plena negociação com a UE.

O governo britânico adiou assim a votação do acordo de saída do Reino Unido da União Europeia, segundo anunciou hoje a primeira-ministra Theresa May, admitindo que seria rejeitado por uma “grande margem”.

Com isto o EuroStoxx 50 caiu 1,51% para 3.012,28 pontos. O FTSE 100 de Londres  acabou por ter uma performance menos negativa ao descer 0,68% para 6.732,16 pontos.

Por cá o PSI 20 caiu 1% para 4.788,3 pontos, arrastado sobretudo pelas quedas das papeleiras e da Mota-Engil.

A Semapa que detém a Secil e a Navigator caiu 5% para 12,920 euros; a Altri seguiu a nas quedas ao perder 4,22% para 5,680 euros; a Navigator acabou por descer -2,10% para 3,536 euros; só superada pela construtora Mota-Engil que tombou  -3,86% para 1,546 euros. A Corticeira Amorim também fechou em negativo (-2,12% para 9,220 euros).

Os únicos títulos no verde no índice de Lisboa foram a Sonae Capital (+2,59% para 0,870 euros); a Jerónimo Martins (+0,81% para 10,580 euros); a Pharol (+0,78% para 0,180 euros) e o BCP a subir 0,71% para 0,2407  euros.

Na Europa vários acontecimentos tiram a paz aos investidores. Os violentos protestos do movimento dos “coletes amarelos” a trazerem elevados custos para a economia francesa. O CAC 40 caiu 1,56% para 4.738 pontos.

A detenção da CFO do grupo chinês Huawei, que continua a dominar as manchetes internacionais, leva também os investidores a mostrarem-se preocupados com as consequências nas relações comerciais entre os EUA e a China. “A impactar negativamente estão também os dados da balança comercial chinesa que nos mostraram um ritmo de importações muito deprimido, com impacto negativo para os setores automóvel e recursos naturais”, diz o analista da Mtrader Ramiro Loureiro.

” Atenção também ao setor químico depois da BASF ter emitido um profit warning“, acrescenta o analista.

O Dax alemão caiu 1,7% hoje para 10.605,17 pontos. O italiano FTSE MIB caiu 1,72% para 18.420 pontos  e o IBEX deslizou 1,79% para 8.657,9 pontos.

No mercado de futuros do petróleo a queda é também a tónica dominante. O Brent, referência em Londres, cai 1,28% para 60,88 dólares e o crude WTI, referência nos EUA, desce 1,88% para 51,62 dólares.

A libra caiu 1,34% face ao dólar para 1,2555 dólares. O euro cai 0,10% para 1,1368 dólares.

No mercado de dívida soberana a bunds alemães caem 0,3 pontos base para 0,246%; a dívida italiana a 10 anos cai 2,6 pontos base para uma yield de 3,106%; a dívida espanhola viu os juros caírem 0,8 pontos base para 1,443%: e a dívida portuguesa viu os juros caírem 1,4 pontos base para 1,785%.

 

 

Recomendadas

Euro recua após ter negociado perto de 1,06 dólares

O euro aproximou-se hoje de 1,06 dólares, mas baixou após a divulgação de dados da economia norte-americana melhores do que o esperado, que impulsionaram o dólar.

PSI encerra sessão em alta ligeira em contraste com generalidade dos mercados europeus

O banco liderado por Miguel Maya cessou o dia com ganhos de 1,23% para 0,1479 euros, seguido da NOS, com 1,21% para 3,83 euros. A Semapa terminou o dia a subir 1,90% para 13,98 euros.

Wall Street arranca semana em baixa

Assim, na abertura de Wall Street, o Dow Jones perde 0,62% para 34.217,92 pontos, o S&P 500 cede 0,69% para 34.217,92 pontos e o tecnológico Nasdaq recua 0,54% para 11.399,31 pontos. 
Comentários