‘Adiós, Cataluña’. Mais de 3 mil empresas saíram da Catalunha depois do referendo

Estas saídas tiveram um impacto de 11.540 milhões de euros na economia catalã, segundo a imprensa espanhola.

Desde a data da realização do referendo sobre a independência da Catalunha ilegalmente convocado pelo governo da região, 3.004 empresas deslocaram a sua sede social para outros locais. Um terço dessas empresas mudaram também a sua sede fiscal.

A principal motivação da saída  terá sido a instabilidade política na região e a vontade de, segundo o jornal espanhol Expansion, “proteger os interesses dos seus accionistas, clientes e empregados”.

O impacto dessas saídas no PIB catalão, segundo o Expansion, terá sido de 11.540 milhões de euros, 5,4% da economia catalã e 1% da espanhola.

Entre as empresas que abandonaram a Catalunha contam-se a Eurona, a Proclinic, o Sabadell ou a Oryzon Genomics.

 

Relacionadas

Quase um quarto dos espanhóis deixou de comprar produtos catalães

Dados de uma sondagem da Full on Net, 23% dos espanhóis deixou de comprar produtos de origem catalã. Tendência deverá ter especial impacto no Natal.

Catalunha: Autoridades espanholas reforçam segurança online para impedir ingerência nas eleições

As autoridades estão preocupadas com o impacto que as notícias falsas possam ter nas eleições e temem uma nova ingerência de hackers nos resultados eleitorais.

“Um referendo sem acordo não fazia sentido”. O que a Catalunha já sabia desde 2016

Novos desenvolvimentos sobre o processo de independência da Catalunha surgem apenas dois dias antes de a justiça belga apresentar a decisão sobre o pedido de detenção e entrega a Espanha de Carles Puigdemont.

Independentistas não conseguem assegurar vantagem na Catalunha

Depois do que se passou com o referendo à independência, tudo parecia estar a favor de uma vitória clara do separatismo nas eleições de 21 de dezembro. Afinal, não é nada disso que se está a passar.

Catalunha: Milhares de independentistas manifestam-se em Bruxelas

Concentrados perto das sedes das instituições europeias, os manifestantes gritaram como principal palavra de ordem “Europa, Acorda! Ajuda a Catalunha”.
Recomendadas

Governo quer atualizar os escalões do IRS em 5,1% em 2023

O Governo decidiu rever em alta o referencial dos aumentos salariais, puxando-o para o valor do aumento da massa salarial da Função Pública: 5,1%. Será esse o número que será usado para atualizar os escalões do IRS.

Governo propõe salário mínimo de 760 euros em 2023, mas mantém meta para 2026

O salário mínimo nacional deverá subir para 760 euros no próximo ano. A base remuneratória da Função Pública ficará, pois, acima desse valor, mas apenas em 1,58 euros.

Diretora do FMI avisa que situação económica “ainda vai piorar antes de melhorar”

“A incerteza é muito elevada”, referiu Kristalina Georgieva, destacando os efeitos da guerra, apontando que pandemia que “ainda não desapareceu” e acrescentando também que “os riscos em torno da estabilidade financeira estão a crescer”.
Comentários