ADSE inclui consultas de nutrição na tabela de preços do regime convencionado

A nova tabela da ADSE que entra em vigor a 1 de janeiro passa a incluir as consultas de nutrição. A Ordem dos Nutricionistas aplaude a decisão.

A  ADSE corrigiu a tabela de preços do regime convencionado, que passa agora a incluir, pela primeira vez, consultas de nutrição. As novas tabelas foram conhecidas esta terça-feira, e entram em vigor a 1 de janeiro de 2022.

Recorde-se que a ADSE emitiu, a 1 de setembro, tabelas de preço a pagar pelo subsistema de saúde e beneficiários aos prestadores com acordo, que não incluíam a comparticipação de consultas de nutrição. A Ordem dos Nutricionistas considerou esse um “erro crasso”, que agora se vê corrigido.

A Ordem dos Nutricionistas aplaude a ADSE pela correção da tabela de preços do regime convencionado. “Só podemos estar satisfeitos com esta decisão. Se já é inimaginável que existam poucos nutricionistas no Serviço Nacional de Saúde, ao serviço da população, seria impensável que a ADSE não comparticipasse consultas de nutrição”, salienta Alexandra Bento, bastonária da Ordem dos Nutricionistas.

Para Alexandra Bento, esta retificação é o resultado direto do diálogo aberto que a ADSE permitiu que a Ordem dos Nutricionistas estabelecesse, desde o primeiro momento. “É fundamental que entidades como a ADSE tenham a competência de refletir sobre a preponderância que a nutrição tem na saúde de todos os portugueses e que, principalmente, tenham a capacidade de tomar as melhores decisões”, acrescenta a bastonária.

 

Recomendadas

Angola cresce 3,5% este ano, mas abranda para 1,8% em 2023

“O forte crescimento de Angola este ano dificilmente vai prolongar-se para 2023, já que a produção petrolífera deverá regressar à tendência decrescente”, lê-se numa análise às maiores economias da África subsaariana, região que deverá ver o PIB deste ano expandir-se 3,3%, abrandando face aos 4,4% do ano passado.

China diz que EUA estão a enviar “sinais perigosos” sobre Taiwan

O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês deixou claro que uma escalada das atividades independentistas torna difícil um acordo pacífico, no que diz respeito a Taiwan,

Vieira da Silva desaconselha mudança da lei das pensões. “É mais sensato suspender”

Para o ex-ministro Vieira da Silva, seria mais sensato suspender a lei da atualização das pensões, não sendo este o momento para proceder a alterações à fórmula legal.
Comentários