Advogada de Barcelos burlou cliente em 180 mil euros com falsos pretextos

Advogada de Barcelos foi condenada a quatro anos de pena suspensa por burla de 180 mil euros . Ao queixoso, um empresário da restauração, exigiu quantias sucessivas para tratar dos processos, não lhes dando qualquer dos usos que alegara quando as pedira.

O Tribunal Judicial de Braga condenou, a 27 de Novembro, uma advogada de Barcelos a quatro anos de prisão, com pena suspensa, por burlar um cliente em mais de 180 mil euros entre 2010 e 2012. A arguida, que estava suspensa pela Ordem dos Advogados, foi condenada por burla qualificada e  de pagar 30 mil euros ao cliente burlado, ficando a companhia de seguros responsável pelo pagamento dos restantes 150 mil.

Segundo a Procuradoria Geral Distrital do Porto (PGDP), que dá conta do acórdão do Tribunal Judicial de Braga, “o tribunal considerou provado, além do mais, que a arguida, advogada em Barcelos, nos anos de 2010, 2011 e 2012, solicitou diversas quantias a um seu cliente, no total de 177.795 euros, sob diversos pretextos”.

O queixoso, um empresário da restauração, testemunhou no tribunal que a advogada lhe foi sempre pedindo novas quantias para tratar dos processos, designadamente 50 mil euros para uma caução e mais 100 mil euros para reforçar a mesma caução. Mas esta caução nunca foi prestada, tendo o dinheiro ido parar à conta pessoal da advogada.

Além destas quantias, a PGDP adianta outras que arguida deu qualquer dos usos que alegara quando as pedira: 16 mil euros relativos a preparos e provisão relativos à oposição no âmbito de um processo de injunção, três mil euros para diligências destinadas a acautelar património, cinco mil euros para provisões e 3.795 euros para reforço da provisão.

“Mais considerou provado o tribunal que a arguida fez suas estas quantias, não lhes dando qualquer dos usos que alegara quando as pedira”, avança a PGDP.

Recomendadas

FMI estima que a espiral de salários-preços ainda é um “risco limitado”

A ausência de uma espiral preços-salários não deve levar os líderes a não agirem para combater a inflação persistente, considera ainda o Fundo Monetário Internacional.

Compra de carros de luxo pela TAP “é um problema de bom senso”, diz Marcelo Rebelo de Sousa

“Já falei em relação a várias entidades públicas no passado e em relação à distribuição de dividendos e em relação aos salários e entendo que quando se está num período de dificuldade deve fazer-se um esforço para dar o exemplo de contenção”, defendeu hoje Marcelo Rebelo de Sousa.

Albergaria investe 3,7 milhões de euros na zona industrial para captar investimento e criar emprego

O município “tem realizado um forte investimento no desenvolvimento económico, dinamizando o sector empresarial e a economia local” nos últimos anos, segundo António Loureiro, Presidente da Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha.
Comentários