Advogada de Rendeiro: “Se fiança for negada, recorremos para o Supremo Tribunal” da África do Sul (com áudio)

June Maks diz ainda que a autorização de residência que João Rendeiro tem na África do Sul não será importante para o tribunal de Verulam, para onde o ex-presidente do BPP se voltará a dirigir na terça-feira, para conhecer as medidas de coação, depois de um adiamento na audiência.

A advogada de João Rendeiro na África do Sul disse esta segunda-feira que a equipa de defesa do ex-banqueiro ainda não recebeu o processo de acusação – apenas a indicação da detenção no fim de semana – e adiantou que, apesar de ainda não ter sido definido o valor da fiança, em caso de recusa será remetida o Supremo Tribunal de Justiça.

“Ainda não determinámos o valor da fiança. Se a fiança for negada vamos recorrer ao Supremo e aí haverá uma decisão”, referiu June Maks, em entrevista à CNN Portugal. “Espero que a lei sul-africana seja aplicada. Vamos seguir a lei e os princípios sul-africanos”, garantiu, poucas horas depois de o ex-presidente do extinto Banco Privado Português (BPP) ter sido presente a juiz na manhã desta segunda-feira.

June Maks afirmou ainda que a autorização de residência que João Rendeiro tem no país não será importante para o tribunal de Verulam, para onde o ex-presidente do BPP se voltará a dirigir na terça-feira, para conhecer as medidas de coação, depois de um adiamento na audiência. “O processo de extradição pode demorar na África do Sul. Temos conhecimento de casos que demoraram anos”, contou a sócia do escritório de advogados JSM Attorneys. A Polícia Judiciária portuguesa está convicta na extradição para Portugal, porque os dois países ratificaram a Convenção Europeia de Sub-extradição.

June Maks, que está a trabalhar sem a ajuda de juristas portugueses, afirmou ainda que conheceu o seu cliente há três meses, mas não revelou se já tinha sido contratada antes da chegada à África do Sul. “Estou muito ciente das alegações e das circunstâncias em que está envolvido”, sublinhou, em entrevista por Zoom a partir de Joanesburgo.

No sábado por volta das 7h00 da manhã (hora local), João Rendeiro foi detido num luxuoso hotel na cidade sul-africana de Durban, no leste do país. Segundo a advogada de João Rendeiro, foi feita uma reclamação contra a divulgação mediática da fotografia de João Rendeiro que o mostra no momento da detenção, de pijama.

Defesa de João Rendeiro vai pedir saída sob fiança (com áudio)

 

Relacionadas

Acusação vai contestar pedido da defesa de João Rendeiro (com áudio)

Só amanhã, terça-feira, é que Rendeiro e a sua equipa de defesa se vão apresentar para a audição.

BPP: João Rendeiro teve queda aparatosa à entrada da sala de audiências

Sempre com máscara facial, como todos ali presentes por causa da covid-19, Rendeiro saiu da sala à qual voltará na terça-feira, regressando à esquadra de North Durban, a 18 quilómetros do tribunal, e onde partilha uma cela com outras duas pessoas, disse hoje à Lusa uma fonte próxima do ex-banqueiro.

Defesa de João Rendeiro vai pedir saída sob fiança (com áudio)

O tribunal de Verulam vai primeiro ouvir o ex-banqueiro e só depois, possivelmente na próxima semana, deve decidir sobre a sua saída sob fiança. 

Audição de João Rendeiro adiada para terça-feira (com áudio)

O português foi deslocado esta manhã para o tribunal de Verulam, onde ia ser presente a um juiz com o intuito de ser extraditado para Portugal.

Advogada de Rendeiro na África do Sul defende que não está interessada em “processar imprensa”

“A minha única preocupação é este momento. Vi a fotografia, parece-me falsa, mas, seja como for, a minha única estratégia e preocupação é tratar do meu caso”, disse June Marks, advogada de João Rendeiro na África do Sul.
Recomendadas

PremiumParpública escolhe VdA para assessorar venda da Efacec

O Governo depois de analisar vários cenários optou por retomar o processo de privatização da Efacec e já há caderno de encargos.

Premium“M&A pode ter algum abrandamento mas vai continuar dinâmico”

Num ano marcado pela incerteza gerada pelo conflito na Ucrânia, pela escalada da inflação e pela subida dos juros, áreas de prática como Energia e Reestruturações deverão ter grande atividade, diz a líder da Abreu. M&A permanece dinâmico graças a sectores como tecnologia.

Menezes Leitão: “Lei das Associações Públicas Profissionais pretende colocar Ordem dos Advogados sob controlo do poder político”

Luís Menezes Leitão recandidata-se a bastonário da Ordem dos Advogados. Em entrevista ao NOVO, defende o sistema de acesso ao Direito e recusa que exista uma Justiça para ricos e outra para pobres
Comentários