PremiumAdvogados de Amorim estão do lado do comprador e do vendedor

O escritório de advogados liderado por André Luiz Gomes está sob fogo na disputa pela Herdade da Comporta.

A firma assessora um dos interessados na Comporta, o grupo liderado por Paula Amorim, mas também presta assessoria jurídica a João Espírito Santo de Brito e Cunha, um dos participantes do fundo dono da Herdade, por via de uma das suas advogadas.

Esta situação está a ser apontada, nos bastidores do negócio, como potenciadora de um eventual conflito de interesses, devido ao facto de a firma de André Luiz Gomes estar em simultâneo do lado do comprador e de um dos vendedores. De acordo com o artigo n.º 99 do Estatuto da Ordem dos Advogados (EOA),  um advogado “não pode aconselhar, representar ou agir por conta de dois ou mais clientes, no mesmo assunto ou em assunto conexo, se existir conflito de interesses desses clientes”. Sendo que, neste caso, está em causa uma sociedade e não um advogado em particular.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumPorto Law Summit debate sociedades multidisciplinares

As sociedades multidisciplinares – formadas por advogados e outros profissionais – estão a chegar. O bastonário Luís Menezes Leitão, que se recandidata ao cargo, não está disponível para as aceitar.

Diferendo entre Ordem dos Advogados e Conselho de Deontologia de Lisboa volta “à estaca zero”

O despacho deixa o recurso apresentado em janeiro desse ano pelo bastonário, Luís Menezes Leitão, novamente por decidir, contrariando o próprio entendimento que esta 3.ª Secção do CS havia tido anteriormente.

Advogados do caso BES querem Supremo a decidir pela manutenção de Ivo Rosa no processo

Na terça-feira a providência 24/22, deu entrada no Supremo e ficou decidido como relator o juiz conselheiro Manuel Capelo, segundo a “TSF”.
Comentários