Aeroporto de Gatwick reabre com “número limitado” de voos

A secretária britânica de Estado de Aviação, Liz Sugg, disse à “BBC” que os “drones voaram ilegalmente e os operadores agiram de forma incrivelmente irresponsável e podem enfrentar até cinco anos de prisão”.

O aeroporto de Gatwick, em Londres, paralisado desde a noite de quarta-feira após dois drones terem sido avistados perto da pista, anunciou esta manhã a reabertura de um “número limitado” de voos.

“A pista de Gatwick encontra-se atualmente utilizável e está prevista a descolagem e aterragem de um número limitado de aviões”, informou o aeroporto na rede social Twitter, aconselhando os viajantes a verificar o estado do seu voo com a companhia aérea antes de se deslocarem para o aeroporto, uma vez que os voos que partem e chegam a Gatwick ainda estão sujeitos a atrasos ou cancelamentos.

Cerca de 110 mil passageiros foram afetados na quinta-feira, e dez mil na noite de quarta-feira. Na quinta-feira, a TAP informou que iria operar dois voos extra entre Lisboa e Heathrow, na região de Londres, para minimizar o impacto para os seus passageiros do encerramento temporário de Gatwick.

Fonte oficial da transportadora aérea disse à agência Lusa que a primeira ligação estava prevista para esta manhã e que a segunda tem saída prevista pelas 14:40. “Com estes dois voos extra – um deles numa aeronave de maior capacidade, usada normalmente nos voos do longo curso [A330]- , a TAP pretende minimizar o impacto nos seus passageiros do encerramento temporário do aeroporto de Gatwick”, acrescentou a mesma fonte.

As aterragens e descolagens foram suspensas às 21:00 de quarta-feira. Muitas aeronaves foram desviadas para outros aeroportos, incluindo Paris e Amesterdão, enquanto as autoridades aeroportuárias pediram aos passageiros que contactassem as suas companhias aéreas para se informarem sobre a situação dos voos.

O responsável pela segurança aérea da Associação Britânica de Pilotos (BALPA, em inglês), Rob Hunter, lembrou que os drones não são apenas brinquedos e que há “consequências catastróficas” se chocarem com um avião. “O registo destes drones em Gatwick é outra prova sobre a necessidade de leis mais duras para manter os drones longe dos aviões”, segundo Hunter, em declarações à imprensa local.

A secretária britânica de Estado de Aviação, Liz Sugg, disse à “BBC” que os “drones voaram ilegalmente e os operadores agiram de forma incrivelmente irresponsável e podem enfrentar até cinco anos de prisão”.

Relacionadas

Passageiros com voos cancelados em Gatwick sem direito a indemnização

À luz do regulamento europeu, a invasão de drones é vista como uma “circunstância extraordinária”, pelo que as transportadoras aéreas estão isentas de compensações.
Recomendadas

Transição climática é prioridade para grandes empresas

Sonae, CTT, NOS e Altri têm estratégias consolidadas no combate às alterações climáticas e querem com as suas práticas influenciar toda a cadeia de valor. O JE foi conhecer as metas traçadas e as medidas para as atingir.

Vila Galé Collection Braga considerado o hotel mais marcante da Europa nos ‘Óscares do Turismo’

Com um investimento de oito milhões de euros, o Vila Galé Collection Braga resulta da reconversão do complexo do antigo hospital de São Marcos, que estava desocupado desde 2011, permitindo assim a requalificação de um imóvel de interesse público, datado de 1508.

Grupo Stellantis e DST Solar nas Agendas Mobilizadoras

A inovação verde para a indústria automóvel passa pelas Agendas Mobilizadoras. O ISQ&CTAG irá investir 6,2 milhões de euros.
Comentários