Aeroporto: Montijo diz que infraestrutura dá resposta às necessidades (com áudio)

O presidente da Câmara do Montijo defendeu que o novo aeroporto no concelho é uma “necessidade urgente” e reafirmou a convicção de que a alternativa de Alcochete pode demorar.

O presidente da Câmara do Montijo defendeu esta quarta-feira que o novo aeroporto no concelho é uma “necessidade urgente” e reafirmou a convicção de que a alternativa do Campo de Tiro de Alcochete “pode demorar até 15 anos”.

“O Montijo é uma urgência imediata. Já o era antes, em 2019, mas hoje torna-se demasiado evidente que é uma escolha necessária e urgente para resolver o problema da incapacidade aeroportuária de Lisboa. Essa resposta mais rápida, mais urgente e mais célere, só consegue ser dada com o Montijo”, disse Nuno Canta.

O autarca socialista, que falava à agência Lusa pouco depois de o Governo ter anunciado a intenção de avançar com um estudo para uma nova infraestrutura aeroportuária no Montijo e para outro aeroporto em Alcochete, afirmou-se “satisfeito” com a decisão, que considerou importante para o desenvolvimento do concelho a que preside e da região de Setúbal.

“Relativamente à questão que interessa ao Montijo, neste momento é a construção do novo aeroporto no Montijo. Relativamente a opções futuras, sobre outras localizações, serão sempre avaliadas nessa altura”, disse Nuno Canta.

“Se imaginarmos uma estratégia de longo prazo para o aeroporto no Campo de Tiro de Alcochete, há uma série de infraestruturas associadas. Para a sua construção, estamos a falar de um período de cerca de 15 anos, porque já não tem só a ver com a infraestrutura aeroportuária”, acrescentou o presidente da Câmara Municipal do Montijo.

Nuno Canta diz, no entanto, que no caso de o Governo querer avançar mais tarde com a construção de mais um aeroporto no Campo de Tiro de Alcochete, terá de decidir se quer desmantelar o Aeroporto Humberto Delgado e, também, decidir o que irá acontecer ao futuro aeroporto do Montijo.

Recomendadas

PSD acusa Governo de autoritarismo e ministra da Agricultura de reação “descabelada”

O secretário-geral do PSD acusou o Governo de tiques de autoritarismo e de desrespeito pelas instituições, aludindo ao que considera uma reação “descabelada” da ministra da Agricultura em relação à CAP.
SNS

Ordem dos Enfermeiros vai insistir na criação de centros de parto normal

A bastonária da Ordem dos Enfermeiros disse que vai “insistir até à exaustão” na criação de centros de parto normal, como forma de resolver um problema particularmente expostos nas últimas semanas.

CDS exige a demissão da ministra da Agricultura, depois de acusação da CAP de “bullying político”

A iniciativa dos centristas surge depois de a ministra ter dado uma resposta “inqualificável e inaceitável” quando questionada sobre medidas para mitigar seca, tendo acusado a CAP de  aconselhar os eleitores a não votar no Partido Socialista”.
Comentários