AFA ganha obra de 15 milhões em porto de Namibe

Uma empresa do grupo português AFA vai executar uma obra num porto de pesca no Namibe, sul de Angola, por mais de 15 milhões de euros. A obra, autorizada por despacho presidencial de 14 de outubro, é justificada como sendo “prioritária” pelo Ministério das Pescas angolano e envolve a construção e apetrechamento da Ponte do […]

Uma empresa do grupo português AFA vai executar uma obra num porto de pesca no Namibe, sul de Angola, por mais de 15 milhões de euros.

A obra, autorizada por despacho presidencial de 14 de outubro, é justificada como sendo “prioritária” pelo Ministério das Pescas angolano e envolve a construção e apetrechamento da Ponte do Cais do Tômbwa.

“Com vista a garantir uma atividade de pesca em condições técnicas e de segurança, que valorizem a produção dos pescadores e dos armadores, garantindo assim a operacionalidade das embarcações na província do Namibe”, lê-se no mesmo despacho, assinado pelo Presidente José Eduardo dos Santos.

A empreitada será adjudicada por 1.942.064.309,96 kwanzas (15,4 milhões de euros) à empresa AFAVIAS – Engenharia e Construções, segundo o documento. O contrato, a celebrar pelo Ministério das Pescas, envolve ainda uma componente de 102,6 milhões de kwanzas (814 mil euros) para a fiscalização da empreitada, a realizar pela empresa Proenge Engenharia.

De acordo com informação do grupo português, a AFA foi fundada em 1980, na Região Autónoma da Madeira, e tem apostado no continente africano desde 2007, nomeadamente em Angola.

 

OJE/Lusa

Recomendadas

SAD do Sp. Braga com resultado positivo de 3,1 milhões de euros na época passada

Relativamente ao exercício financeiro que terminou a 30 de junho deste ano, que ainda não refletem a venda do passe futebolístico do defesa central David Carmo (transferência fechada para o FC Porto na ordem dos 20 milhões de euros), a SAD dos bracarenses destaca que este foi um período “pautado por múltiplos constrangimentos associados à pandemia”.

Sonaecom rasga acordo com Isabel dos Santos

“À Sonae passa a ser imputada uma participação na NOS de cerca de 36,8% do capital social e dos direitos de voto nessa sociedade”, detalha a empresa liderada por Cláudia Azevedo.

Toyota Caetano Portugal com lucros de 7,3 milhões no semestre

Em comunicado à CMVM, a Toyota Caetano Portugal diz que os resultados líquidos consolidados ascenderam a 7,3 milhões de euros, o que compara com 11,7 milhões em dezembro de 2021 e com 2,98 milhões em junho de 2021.