Agência Europeia do Medicamento prepara-se para aprovar vacina da Pfizer a 23 de dezembro

Uma fonte do Governo alemão avançou à Reuters que a agência vai recomendar o uso da vacina já na próxima semana, mas EMA avança que a decisão só vai ser conhecida a 29 de dezembro. Comissão Europeia tem a palavra final sobre o seu uso.

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) vai dar luz verde à primeira vacina para a Covid-19 a 23 de dezembro. Esta é apenas uma recomendação, pois a decisão final cabe à Comissão Europeia, que habitualmente segue os pareceres da EMA.

A notícia está a ser avançada hoje pela agência Reuters que cita uma fonte do Governo alemão.

A EMA prepara-se para aprovar a vacina depois de as autoridades norte-americanas, britânicas e canadianas já terem aprovado a vacina.

Anteriormente, a decisão sobre a vacina estava marcada para o dia 29 de dezembro, mas a EMA antecipa assim em uma semana a sua decisão. Para 12 de janeiro, está marcada a divulgação da decisão sobre a vacina da Moderna.

O Reino Unido foi o primeiro a aprovar a vacina a 3 de dezembro, seguido do Canadá a 9 de dezembro e dos Estados Unidos a 11 de dezembro.

O ministro da Saúde alemão, Jens Spahn, disse hoje que, se a aprovação final da União Europeia tiver lugar antes do natal, as primeiras vacinas poderão começar a ser administradas antes do final do ano.

Pela sua parte, a EMA disse à Reuters que a decisão sobre a vacina iria ter lugar a 29 de dezembro.

O jornal alemão Bild avançou hoje que a EMA vai pronunciar-se a 23 de dezembro, citando fontes do governo alemão e Comissão Europeia, avançando que a vacinação poderia arrancar a 26 de dezembro na Alemanha.

Recomendadas

OE2022. Pagamentos em atraso sobem para 778,1 milhões até agosto

Os pagamentos em atraso das entidades públicas atingiram os 778,1 milhões de euros em agosto, um aumento em 157,6 milhões de euros face ao mesmo período do ano anterior, avançou esta segunda-feira a Direção-Geral do Orçamento (DGO).

OE2022. Receita fiscal do Estado aumenta 22,8% até agosto para 33,5 mil milhões

A receita fiscal do Estado aumentou 22,8% até agosto face ao mesmo período do ano passado, totalizando 33.511,5 milhões de euros, segundo a Síntese da Execução Orçamental divulgada esta segunda-feira.

OE2022. Resposta à Covid-19 custou ao Estado 2.835,2 milhões até agosto

A resposta à covid-19 custou 2.835,2 milhões de euros até agosto, devido à perda de receita em 464,5 milhões de euros e ao aumento da despesa em 2.370,7 milhões, avançou esta segunda-feira a Direção-Geral do Orçamento (DGO).
Comentários