Agricultores apelam a governo britânico que intervenha na crise de fornecimento de alimentos

Os agricultores no Reino Unido avisam que a cultura de alimentos deve sofrer uma grande queda.

O Sindicato Nacional dos Agricultores britânicos (NFU, em inglês) considerou que o Reino Unido está “sonâmbulo” perante uma crise de fornecimento de alimentos e pediu ao governo para intervir no sentido de ajudar os agricultores, segundo a “Bloomberg”.

“O aumento dos custos de combustível, fertilizantes e rações está a colocar os agricultores sob forte pressão”, apontou o sindicato, acrescentando que “os rendimentos de tomate e outras culturas provavelmente vão cair para níveis mínimos recordes este ano, com potenciais problemas de oferta”.

O NFU também disse que os preços do leite provavelmente vão cair para níveis inferiores ao custo de produção, ao mesmo tempo que os produtores de carne bovina estão a considerar reduzir o número de vacas que criam.

Para a presidente da NFU, Minette Batters, o governo precisa dar “prioridade à segurança alimentar e, se não o fizerem, continuaremos a ver uma maior contradição na nossa produção, uma dependência de mais importações, e a disponibilidade simplesmente não estará lá”.

Do lado do governo, o executivo considerou que o Reino Unido tem uma “cadeia de fornecimento de alimentos altamente resiliente”.

 

Recomendadas

PremiumLeia aqui o Jornal Económico desta semana

Esta sexta-feira está nas bancas de todo o país a edição semanal do Jornal Económico. Leia tudo na plataforma JE Leitor. Aproveite as nossas ofertas para assinar o JE e apoie o jornalismo independente.

Mali. ONU lança apelo por 688 milhões de euros para ajudar 5,7 milhões de pessoas

A Organização das Nações Unidas (ONU) lançou hoje um apelo por 751 milhões de dólares (688 milhões de euros) para dar resposta às necessidades urgentes de 5,7 milhões de pessoas no Mali.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.
Comentários