Airbus quer atingir os 800 trabalhadores em Portugal até 2025

Charles Huguet, diretor geral do Airbus Global Business Services Center quer atrair os melhores talentos para o hub aeroespacial português e espera mudar-se para o novo edifício até outubro.

A Airbus espera ter 800 trabalhadores em Portugal até ao final de 2025. Este é um dos objetivos traçados pelo diretor-geral do Airbus Global Business Services (GBS), Charles Huguet, em declarações ao Jornal Económico, revelando que este ano serão contratadas 300 pessoas.

“Um dos nossos objetivos para este ano é contratar 300 pessoas, mas queremos atingir os 800 trabalhadores até ao fim de 2025. Ou seja, em três anos teremos um dos maiores Global Business Center, com a particularidade de não ser virado para uma área em concreto, mas sim multifunções. Isto é algo que nos distingue e é também assim que queremos atrair todo o tipo de talento”, refere.

Talento esse, que Charles Huguet reconhece correspondeu às expetativas que o fizeram instalar-se no nosso país. “Além de excelentes trabalhadores, são ótimos seres humanos. E precisamos de pessoas com vários tipos de experiências”, afirma, realçando que para atrair esse talento a Airbus tem tido conversas com a AED Cluster Portugal (cluster português para as indústrias de aeronáutica, espaço e defesa), com o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) e o Instituto Politécnico de Setúbal.

“Também temos um programa de formação durante seis meses e onde no final contratamos as pessoas. Ou seja, queremos crescer em Portugal, mas também crescer com Portugal e fazer parte da sua vida económica, e é o que temos vindo a fazer ao longo dos últimos meses”, salienta Charles Huguet.

Oito meses depois de ter chegado a Lisboa, o responsável assume que este hub dedicado à indústria aeroespacial prestará todo o tipo de serviço às restantes sucursais da Airbus espalhadas pelo mundo, desde a América até à China. “Os nossos primeiros clientes foram a Airbus América e Airbus Canada que estiveram esta semana em Lisboa a visitar o nosso espaço”, sublinha.

Apesar de estar em Portugal e a maioria dos trabalhadores serem de nacionalidade portuguesa, o diretor geral da AirBus GBS defende que esse não é um fator determinante na hora de contratar.

“Olhamos primeiro para o talento antes da nacionalidade. Obviamente que estamos em Portugal e dos atuais 170 trabalhadores, cerca de 70% são portugueses, mas no total temos 21 nacionalidades. Isto não é uma versão da Airbus Portugal, mas sim a nível global e queremos ter essa diversidade, porque a diversidade atrai inovação. Temos colaboradores do Brasil, África do Sul, Índia, França, Rússia, Ucrânia, de todo o mundo”, refere.

Questionado sobre o que distingue a Airbus de outras empresas, Charles Huguet, destaca as condições salariais e outros benefícios que nos permitiram atrair e convencer 170 trabalhadores em oito meses. “Mas não é apenas isso, existe todo um plano de desenvolvimento para os jovens talentos que é posto em prática assim que entram na empresa. Após alguns anos em Portugal, podem viajar pela Airbus para onde quiserem”, explica.

Todas estas oportunidades acabam de acordo com o diretor geral por transmitir um sentimento de lealdade aos trabalhadores para com a companhia. “No meu caso, estou na Airbus há 21 anos, mas nunca fiquei mais do que três ou quatro anos no mesmo cargo, porque a empresa possibilita esse desenvolvimento. Já estive na Alemanha, em França e agora estou em Portugal”, sublinha.

Com o objetivo definido em aumentar a equipa surge também a necessidade da empresa mudar para novas instalações. “Vamos mudar em breve para um novo escritório, porque neste só conseguem estar 100 pessoas e nós já somos 170. Ficará situado a 500 metros deste espaço por trás da estação da Gare do Oriente. Possivelmente será inaugurado em outubro, mas a minha expetativa é que seja ainda antes. Vai depender do processo de licenciamento”, afirma.

Relacionadas

Airbus contrata 300 pessoas em Portugal em 2022 (com áudio)

Depois da entrada em Portugal no ano passado, a empresa continua o seu processo de expansão das operações em Lisboa, onde já conta com mais de 130 especialistas nas áreas administrativa, transacional, relatórios e serviços de TI.

PremiumAirbus prepara novo centro de serviços em Lisboa

Novo projeto da Airbus na capital poderá contar com até 100 pessoas e visa dar resposta a todas as divisões e geografias da fabricante aeronáutica europeia, disse ao JE um alto responsável do grupo.
Recomendadas

Julius Baer torna unidade de mercados independente

A Julius Baer Group, que em Espanha tem portugueses na equipa de gestão, está a criar uma divisão de mercados autónoma e para dirigir essa unidade escolheu Luigi Vignola.

CEO deixa empresa de 65 mil milhões para ir para a “praia e não fazer nada”

Formica, que está no Reino Unido há quase três décadas, disse em entrevista que a sua saída se deve a “motivos pessoais”, incluindo o desejo de estar mais perto dos pais já idosos. Planeia voltar para a Austrália, o seu país natal.

ANJE com concessionária Norscut e Egis escolhem quatro propostas para melhorar autoestrada A24

O valor do prémio em concurso era de 30 mil euros, sendo atribuídos dois prémios por categoria – o valor do 1.º prémio era de 10 mil euros e do 2.º prémio de 5 mil euros.
Comentários