Albuquerque ameaça expulsar “quem fizer confusão” no PSD Madeira

O presidente do Governo da Madeira e do PSD Madeira considerou ser “necessário garantir a unidade do partido, cumprir escrupulosamente o Programa de Governo e trabalhar, com humildade e sem triunfalismos, para as vitórias que se pretendem alcançar, a primeira das quais já em 2023”.

O presidente do Governo da Madeira e do PSD Madeira, Miguel Albuquerque, ameaçou expulsar “quem fizer confusão” nos sociais democratas madeirenses, durante o discurso de encerramento da JSD madeirense.

“Quem quiser confusões aqui dentro [PSD/Madeira] vai para o olho da rua”, declarou Miguel Albuquerque discursando no encerramento do XXIV Congresso Regional da JSD madeirense.

Nesta reunião da juventude social-democrata insular, o deputado madeirense Bruno Melim foi reeleito para um terceiro mandato como presidente da JSD/Madeira, no âmbito do congresso regional desta estrutura do partido.

Para o também presidente do Executivo Regional (PSD/CDS-PP), é necessário “garantir a unidade do partido, cumprir escrupulosamente o Programa de Governo e trabalhar, com humildade e sem triunfalismos, para as vitórias que se pretendem alcançar, a primeira das quais já em 2023”.

Miguel Albuquerque insistiu que o PSD se vai apresentar “em coligação e para ganhar, de forma contundente, em nome da estabilidade e do progresso que têm sido palavra de ordem e do alargamento da autonomia, num partido que está forte, ativo e que apresenta todas as dinâmicas necessárias para prosseguir o seu rumo vencedor, num trabalho que é para levar a cabo ouvindo e ganhando a confiança dos madeirenses”.

O responsável salientou que o PSD/Madeira “sabe, exatamente, o que quer e para onde é que vai, contra uma oposição fragmentada, reverente a Lisboa, sem estratégia para o futuro, que não sabe governar – como se viu na Câmara do Funchal – e que só sabe fazer propaganda sem conteúdo, o que cansa e não passa de mera ilusão”.

O líder social-democrata madeirense recordou as cinco vitórias consecutivas obtidas pelo partido desde 2019, apontando que o PSD/Madeira “tem cumprido todos os objetivos a que se propôs”.

“O nosso programa de Governo será cumprido mesmo com o esforço que vamos fazer ao disponibilizar um pacote suplementar de apoio para fazer face ao aumento do custo de vida e à guerra na Europa”, realçou.

Miguel Albuquerque sustentou que ser militante do PSD/Madeira representa ser “autonomista convicto e perceber que, acima de tudo, está a defesa dos interesses dos madeirenses”, defendendo que “na Madeira são os madeirenses que mandam”.

Apelou aos elementos da JSD madeirense que “continuem a liderar novas causas e a estar na dianteira da evolução, a nível nacional”.

O líder desta estrutura reeleito, Bruno Melim, assegurou que a JSD/Madeira “está preparada para servir a Região e para ter um maior número de elementos em funções legislativas e executivas num futuro próximo, atendendo ao trabalho feito”.

“A juventude madeirense sabe que estaremos, como sempre estivemos, ao seu lado porque enquanto cá estivermos a bandeira da autonomia e da melhoria das condições de vida dos nossos jovens será uma luta constante e indissociável da JSD. Não esperem nada menos do que isso de cada um de nós”, disse.

Assegurou uma atuação “humildade, empenho, dedicação, proximidade, auscultação, pragmatismo e soluções efetivas”.

“Os nossos adversários passam a vida a reclamar de tudo, pena que onde têm e tiveram poder não mudaram nada, não acrescentaram nada, não fizeram nada. É essa a nossa grande diferença. A diferença entre a liberdade e a subjugação, entre o valor acrescentado e a estagnação”, concluiu.

Bruno Melim foi o subscritor da única moção de estratégia global subordinada ao tema “Agarrar o futuro”, venceu as eleições para a liderança da JSD insular em 2018 e 2020, e foi reconduzido no cargo sem qualquer concorrência.

Recomendadas

Madeira: Movimento de passageiros nos aeroportos ficaram a mais de 30% acima dos valores de 2019

Entre janeiro e setembro de 2022, o movimento de passageiros nos aeroportos da RAM foi de aproximadamente 3.062,5 mil, significando um acréscimo homólogo de 134% e de 17% face aos valores registados nos primeiros nove meses de 2019. 

Madeira com défice de oito milhões de euros

À semelhança do ano anterior, mais de metade da despesa (51,9% da despesa total) foi canalizada para a área social, onde se destaca o sector da Saúde com uma execução orçamental de 280,3 milhões de euros e a Educação com 296,5 milhões de euros.

Governo Regional da Madeira investe mais de 80 milhões de euros em medicamentos

O envelhecimento demográfico, as doenças crónicas e a introdução de novos medicamentos aumentam as necessidades em saúde, a que o Serviço Regional de Saúde procura responder, sendo que existem doentes que exigem investimentos entre 20 mil a 500 mil euros.
Comentários